Período Paleolítico

O Período Paleolítico faz parte da história do desenvolvimento humano, tão extensa que precisamos categorizar para entendermos os períodos e como fomos nos desenvolvendo em cada um deles.

A pré-história não é um período de ausência dos fatos humanos, pelo contrário, é aqui que os humanos surgem e começam a desenvolver culturas, formas de sobrevivência e hábitos. No entanto, esse momento é conhecido pela pouca informação que temos da forma tradicional, pois a escrita ainda não era desenvolvida. Encontramos fósseis e pinturas rupestres, aquelas feitas em cavernas, com ferramentas naturais como a pedra lascada, que nos dizem o que queriam os homens antes de nós. 

Mas afinal, o que é o período Paleolítico? É nesse período que temos os primeiros desenvolvimentos de ferramentas confeccionadas para sobrevivência, a descoberta do fogo e o culto às mulheres como forma de religião. 

Hominídeos ao redor de fogueira

Foi no Paleolítico que a caça, a produção de armas e roupas e o fogo foram dominados (Foto: depositphotos)

Os 3 momentos do período Paleolítico

O período paleolítico tem subdivisões. Para entendermos completamente como foi, dividimos em paleolítico inferior, paleolítico médio e o paleolítico superior. 

Esse é o período da história humana conhecido como o mais extenso. Ele data de 2,5 milhões de anos a.c. até 10 mil anos a.c. O paleolítico também é conhecido como a idade da pedra lascada, por ser aqui a fabricação de ferramentas com a utilização da pedra. Pesquisadores e arqueólogos encontraram ferramentas de pedras lapidadas com outras pedras, ou então amarradas em galhos formando assim uma espécie de machado. 

Todo o processo humano de desenvolvimento foi muito gradual. Foram necessários milhões de anos para entendermos como utilizar o fogo, por exemplo, e outros milhões de anos para sabermos da existência de ligas metálicas. 

Paleolítico Inferior

A primeira subdivisão desse período é o paleolítico inferior. O que consta aqui é o surgimento dos hominídeos, seres mais parecidos com a forma humana que vão começar a utilizar o que se encontra naturalmente, como pedras e galhos, para sobreviver. 

A importância desse momento é a evolução humana, as primeiras formas de hominídeos que são nossos ancestrais. Acidentes naturais os farão perceber importantes ferramentas de sobrevivência como o fogo.

Australopitecos

O primeiro hominídeo ligado a linhagem humana é o Australopitecos. Embora tenham baixa estatura e os braços mais longos para poderem se equilibrar utilizando as mãos, suas características os colocam ligados à nossa origem. 

O pelo era fundamental para a sobrevivência, esses homens então tinham o corpo coberto de pelos e eram bípedes, ou seja, andavam como nós. Os homens encontrados dessa categoria tinham em média 1,4 metros de altura. 

Uma das coisas mais importantes para a evolução humana é o desenvolvimento do polegar opositor. A nossa mão consegue ter movimentos como a pinça e a garra graças a esse dedo. Isso nos separa significativamente de outros primatas. Os australopitecos são os primeiros a utilizarem o polegar opositor para segurar alimentos e trabalhar ferramentas para a coleta. 

A alimentação desses homens é basicamente feita por folhas e frutas, em uma forma de obtenção chamada coleta. Diferentemente da colheita, onde plantamos e depois colhemos o fruto, a coleta é feita em florestas, de árvores que não plantamos, mas que já estavam lá. Os hominídeos aqui são nômades. Os frutos e frutas são sazonais, isto é, só estão disponíveis em determinado momento do ano. Precisavam então se mudar constantemente para que pudessem se alimentar. 

Acredita-se que a vida dos primeiros humanos só foi possível pela localização do seu desenvolvimento: na África

O australopitecos foi encontrado em zonas tropicais da África. O clima tropical não é tão marcado conforme as estações do ano, então não existem invernos rigorosos, nem verões acima do que se pode suportar, por mais que ainda fosse uma média de temperatura abaixo do que conhecemos. É por isso que, nessa condição, ainda vivendo instintivamente, os homens precisaram de um território que os proporcionasse uma condição de vida como a África. 

Homo habilis

Um passo depois na evolução humana encontramos o homo habilis, do latim “homem hábil”. Os homens já haviam começado a utilizar o polegar para a sobrevivência de forma muito mais complexa que os outros primatas e, nessa fase, isso se desenvolve com maior complexidade. Agora desenvolvemos ferramentas rudimentares feitas de pedra. Por isso vamos ver ainda o termo ‘pedra lascada’.

Esse hominídeo viveu na terra entre 2,4 e 1,6 milhões de anos atrás. O termo que utilizamos para ele, homo habilis, indica essa habilidade de transformação do meio que vive. 

Além do nosso corpo em constante mudança, muito se estuda sobre o tamanho do nosso cérebro, o homo habilis esse órgão 50% maior do que o do australopiteco. Esse é um hominídeo que se distancia muito de nós também pela sua estatura. Em média, tinham 1,3 metros. 

Homo eretcus

Embora os australopitecos e os homo habilis sejam bípedes, a mão ainda é utilizada como fonte de equilíbrio. O que muda com o surgimento do homo eretcus, que no latim significa “homem ereto”. Esse hominídeo entende que a mão é necessária para a alimentação, manuseio da natureza e fabricação de artefatos. Estes, então, aprenderam a se equilibrar nas suas pernas e dominaram o fogo, então puderam fazer migrações maiores para lugares mais frios e começam a se espalhar pelo mundo.

Os primeiros objetos utilizados eram de ossos e madeira, depois de pedra. Para sua própria proteção e para quebrar cascas de alimentos, os hominídeos inventaram machados com pedras amarradas nas pontas. A principal ferramenta desse período. 

Com as lascas que saiam da fabricação dessa ferramenta, eles descobriram formas cortantes. Por isso o nome idade da pedra lascada. 

Acredita-se que a descoberta do fogo aconteceu por conta de um acidente natural, possivelmente um raio que caiu e ateou fogo na vegetação. Também é aqui que os homens descobrem o domínio do fogo, importante conquista para sobrevivência. 

Provavelmente essa dominação tenha acontecido quando tentavam fabricar ferramentas com a utilização de pedras, pois sabemos que o fogo era conseguido por meio da esfregação de duas pedras, ou de gravetos de árvores. 

Resumo do Paleolítico Inferior 

Os hominídeos do período Paleolítico inferior são os australopitecos, os homo habilis e o homo eretcus. Características de sobrevivência: eram nômades, se alimentavam da coleta de frutos, estavam no processo de descobrimento do domínio de ferramentas e do fogo. Ainda ocupam apenas a região africana. 

 

Paleolítico Médio

O paleolítico médio é o período de maior transição que conhecemos, mudanças muito significativas vão acontecer em decorrência do domínio do fogo. O homem neandertal domina completamente o fogo, esse é o hominídeo que vai se desenvolver nessa fase. 

O fogo é um importante domínio para que os hominídeos pudessem habitar outros lugares. Como aconteceu com os neanthertais, que começaram a habitar a Europa. 

A cultura de ficar em volta do fogo e dentro das cavernas para sobrevivência dá também os primeiros contornos do nosso entendimento de comunidade. Vamos aos poucos construindo essa cultura. Também é nesse período, justamente por essa construção de sociedade, que começam a enterrar quem morre junto com as suas vestes e pertences, como cerâmicas, ferramentas e também outros animais. Aqui temos os primeiros contornos de uma religião. 

Também datando do mesmo período que os homo neandertais, estão os sambaquis os primeiros hominídeos encontrados na América do Sul, principalmente em zonas litorâneas. 

Pinturas rupestre em caverna

No Paleolítico a escrita não exista. A pintura rupestre era a forma de expressão (Foto: depositphotos)

Paleolítico Superior

No paleolítico superior se desenvolve o homem cro-magnon, que pode ser entendido como o homem moderno. Sua forma física é a nossa, e suas habilidades já estão muito desenvolvidas, possibilitando a caça de animais de grande porte, como mamutes. Já desenvolveram armadilhas que os ajudam nessas capturas.

A Terra está passando pela quarta glaciação e os hominídeos dessa fase vão se desenvolver praticamente em suas cavernas por conta do clima extremo. Uma grande quantidade de pinturas rupestres é datada desse período. 

Quando os nossos ancestrais estão se espalhando pelo mundo, o corpo começa a sofrer mudanças. Isso aconteceu diretamente com o homo neanderthalensis, ou homem neandertal, como é mais conhecido. Esse é o hominídeo mais próximo do homem moderno.

O homem neandertal já está habitando a Europa e a Ásia, então com o frio desses continentes, eles desenvolveram roupas e armas mais elaboradas para a caça, já que o alimento é escasso em épocas frias. E embora fossem menores que os homens atuais, sua estrutura física resistente se parece muito com a nossa, tornando esse o mais próximo do que somos. 

A Religião no Paleolítico

Como vimos, no paleolítico médio os hominídeos começaram a desenvolver o que conhecemos como funeral, uma forma de se despedir e entender a morte como algo sobrenatural.

No paleolítico superior esse entendimento de sobrenatural fica mais forte, e o mais palpável de ser entendido como divino é a vida humana, então o poder feminino da procriação será venerado. Nas pinturas rupestres encontramos conchas pintadas com tintas vermelhas que claramente simbolizada o portal que dava a vida humana. 

Pesquisadores encontraram estatuetas que tinham formas femininas como se estivessem grávidas, com barrigas e seios grandes, todas elas colocadas de forma central e as figuras masculinas em seu entorno. 

Estatueta da Vênus de Willendorf

A vênus de Willendorf é a estatueta mais conhecida que registra essa fé na origem humana. (Foto: Reprodução | Museu de História Natural de Viena/AFP)

A Evolução Humana

O período que vai do aparecimento dos seres humanos na Terra até o desenvolvimento da escrita, em mais ou menos 3500 anos a.c. é conhecido como pré-história. Não é certo entendermos que apenas civilizações com a escrita complexa desenvolvida tinham história.

Nossa evolução humana também é a nossa história. Nosso corpo acompanha as nossas necessidades e não paramos de evoluir. Os pelos, por exemplo, é a fonte primeira para entendermos como evoluímos. Hoje, com o desenvolvimento de roupas e as mudanças climáticas, eles já não se fazem necessários como nas nossas primeiras formações, por isso estamos cada vez mais nascendo sem eles. 

Quando a vida humana se forma, somos animais como todos os outros, pensamos em sobreviver através do nosso instinto. Sentimos frio e calor e então pensamos no que fazer com isso. Mas, para que possamos evoluir, a natureza nos fornece subsídios necessários nos nossos primeiros passos. 

O desenvolvimento do hominídeo não é linear, isto é, uma forma não deixa de existir porque outra se desenvolve, temos vários de cada vivendo ao mesmo tempo, se adaptando e evoluindo de forma gradativa. 

Sua forma física e como desenvolveram materiais utilizando o raciocínio é o ponto que nos faz dar a eles como desenvolvedores do primeiro período da pré-história: o paleolítico. 

A evolução humana se dá através da adaptação do corpo as necessidades humanas. Percebemos durante as subdivisões do Paleolítico que os homens mudam de acordo com o que se é vivido. 

Referências

» GOSDEN, Chris. Pré-história: 1057 São Paulo: L&PM Edição: Edição de bolso, 2012.

» PROUS, André; PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Artes pré-históricas do Brasil, São Paulo: C/Arte, 2007.

» LEROI-GOURHAN, André. As religiões da pré-história, São Paulo: Edições 70, 2017.

Sobre o autor

Prof. Larissa Dutra
Historiadora e professora, com formação pela UNESA do Rio de Janeiro. Pós-graduada em edição editorial. Trabalha no ensino básico, cursinhos, ministra oficinas, é revisora e editora de livros. Sua pesquisa central é sobre livros, cinema e ditadura militar na América Latina.