Escrita cuneiforme

Conheça a escrita cuneiforme, como e para que foi desenvolvida, e como era usada para registrar informações dos povos da Mesopotâmia


Chamamos de escrita cuneiforme, – do latim cuneus, que significa cunha – um sistema de escrita que foi criado na Babilônia em torno do 4° milênio a.C. e que consistia na gravação de caracteres com a utilização de uma haste de ponta quadrada em tabletes de argila úmida. Estas, posteriormente, eram cozidas ao forno e resultavam em incisões em forma de cunha, motivo pelo qual a escrita recebeu esse nome. Caso a informação não fosse tão importante, a argila não era cozida e então poderia ser reutilizada.

Inicialmente, tratava-se apenas de um sistema pictográfico, mas que foi aos poucos se transformando em um conjunto de sinais fonéticos e silábicos em que centenas de sinais eram empregados. O sistema chamado de escrita cuneiforme, no entanto, não se derivou de nenhum outro alfabeto.

Escrita cuneiforme

Foto: Reprodução/ internet

História

O mais antigo sistema de escrita nasceu em torno do ano de 3.100 a.C. ao Sul da Mesopotâmia, e foi um resultado do processo de assimilação entre os Sumérios e os povos semitas da Arábia. O processo evoluiu de uma imagem simples para um símbolo pictográfico fonetizado, mas só mais tarde se constituiu uma palavra.

As palavras eram escritas em forma de cunha, uma vez que na argila mole era difícil desenhar sinais curvos. O sistema foi adotado por outros povos e, em determinado momento, a escrita dominou todos os estados da Mesopotâmia, não apenas nas placas de argila, mas também, em marfim e pequenas tábuas de madeira.

Com o passar do tempo, deixou de ser escrita em colunas e começou a ser escrita em linhas (escrita horizontal) e da esquerda para a direita. Essa forma de escrita esteve vigente até o começo da era atual.

Mas foi somente no século XX que documentos que esclareciam em partes a complexidade de entendimento da escrita foram encontrados. A tradução foi bastante complicada: os estudiosos tinham que dominar outras línguas como o hebreu e o árabe para que, dentro do vocabulário dessas dois idiomas, encontrassem alguma semelhança que permitisse a tradução.

Estudar essa escrita sem conhecer a cultura e a história das civilizações que a utilizavam era praticamente impossível, e quanto mais mistérios eram desvendados quanto à forma de escrita, mais se conhecia sobre a história desses povos.

Características e objetivos da escrita cuneiforme

Os primeiros objetivos dessa escrita eram os propósitos administrativos e contabilísticos, facilitando o registro de bens, marcas de propriedade, cálculos e transações comerciais, mas aos poucos, passaram a abranger também a expressão dos pensamentos do homem ao se tornarem mais populares.

A escrita era bastante complicada e composta por dois mil sinais cuneiformes originais, mas somente um valor em torno de 200 ou 300 eram usados constantemente. A forma de escrita era usada para exprimir as duas principais línguas da região: a suméria do sul e a acádica do norte.


Reportar erro