Imperialismo na Ásia

No período que antecede o século XIX, a Ásia e o mundo ocidental possuíam relações que se resumiam ao contato estabelecido entre as cidades…


No período que antecede o século XIX, a Ásia e o mundo ocidental possuíam relações que se resumiam ao contato estabelecido entre as cidades portuárias e as embarcações europeias comerciais. Em algumas regiões como Macau (China), Damão, Goa, Diu (Índia) e Timor (Indonésia), haviam experiências do colonialismo, todas controladas pelos portugueses.

Imperialismo na Ásia

Foto: Reprodução

Início

Houve, na segunda metade do século XVIII, com o desenvolvimento da Companhia das Índias Orientais, uma progressiva conquista por parte da Inglaterra nos territórios Indianos. Houveram lutas com os franceses e, até a primeira metade do século XIX, os ingleses já cobravam os impostos, praticavam comércio e vigiavam a população por meio de tropas nativas, que recebiam o nome de cipaios.

Ao final do mesmo século, houve a grande corrida imperialista dos países europeus que buscavam dominar territórios de outros continentes, principalmente por parte das nações tardiamente unificadas da Europa que, com isso, objetivavam compensar o tempo perdido.

Os britânicos também atuaram na China, pois descobriram que a exploração do ópio poderia ser feita como uma droga entorpecente e renderia mais ganhos. O governo chinês, devastado pelo prejuízo que isso causava à saúde da população, estabeleceu a proibição do comércio do ópio, além de políticas severas em torno de qualquer tentativa de contrabando.

Ação militar

Com a proibição da comercialização do ópio, obviamente os britânicos sentiram-se prejudicados e isso resultou nas Guerras do Ópio – entre 1839 e 1842, e entre 1856 e 1860 -. Os ingleses saíram vitoriosos e impuseram tratados que não só garantiam, mas ampliavam os interesses políticos e econômicos que tinham na região. Com isso, foram abertos vários portos comerciais chineses aos países da Europa. Além disso, o comércio de ópio era liberado e a ação dos missionários cristão reconhecida.

Além da Inglaterra, a Rússia, Estados Unidos, França, Alemanha e Japão também usaram seus poderes militares para impor seus interesses comerciais no território chinês. A reação foi a Guerra dos Boxers, que aconteceu entre 1900 e 1901, composta por levantes e atentados realizados pela descontente população chinesa. O evento foi combatido por forças imperialistas do Japão, da Europa e dos Estados Unidos.

Os Ingleses foram derrotados na Índia e, com isso, houve um empreendimento do projeto francês de dominar outras regiões do continente. A França conquistou, entre 1850 e 1860, a Península da Indochina – sul do Vietnã, atualmente – e ampliou seu território com a anexação de todo o território vietnamita. Com a conquista de territórios, a França conseguiu ampliar também seus mercados e dinamizar o comércio de tecidos com a China.

Os Norte Americanos, por sua vez, assim como os alemães, atuaram na Ásia conquistando ilhas que estão espalhadas pelo Oceano Pacífico. Até o ano em que iniciou-se a Primeira Guerra Mundial, uma proporção maior que 60% das terras de todo o planeta estavam sob o controle das grandes potências ocidentais e, 56% da Ásia e quase toda a Oceania pertenciam à outra nação.


Reportar erro