Reprodução das plantas

Os seres vivos possuem um ciclo natural de vida, onde nascem, crescem, se reproduzem e morrem. Quando chegamos à reprodução é possível perceber a…


Os seres vivos possuem um ciclo natural de vida, onde nascem, crescem, se reproduzem e morrem. Quando chegamos à reprodução é possível perceber a diversidade que existe, pois tanto os animais quanto as plantas possuem diversos tipos de reprodução de acordo com a sua espécie. Conheça agora um pouco mais sobre a reprodução das plantas.

As plantas

As plantas possuem duas formas básicas de reprodução: a reprodução assexuada ou agâmica, que é aquela onde as unidades reprodutivas, provenientes de partes do organismo, originam diretamente outro indivíduo; e a reprodução sexuada ou gâmica, que é através da união de duas unidades reprodutivas unicelulares, os gametas.

A reprodução assexuada

De acordo com a espécie da planta, sua reprodução pode ser diferente, veja a seguir os tipos de reprodução assexuada de acordo com a espécie:

Em briófitas

Nas plantas hepáticas, a reprodução assexuada pode ocorrer por meio de propágulos. Na superfície dorsal dessas plantas, há estruturas especiais que são chamadas de conceptáculos. E eles possuem a forma de taça, no seu interior encontram-se os propágulos (estruturas celulares com a forma de um oito), que possuem células com a capacidade de produzir uma nova planta.

Nas pteridófitas

As plantas Pteridófitas que possuem rizoma podem apresentar uma proliferação vegetativa, pois em determinados momentos o rizoma pode desenvolver folhas e raízes, dando origem a novos indivíduos. Havendo a possibilidade do apodrecimento do rizoma em alguns pontos, essas plantas podem se tornar indivíduos independentes.

Nas fanerógamas

Nas plantas fanerógamas, esse tipo de reprodução pode acontecer na proliferação vegetativa, isso porque os caules e as folhas, que são órgãos vegetativos, têm capacidade de proliferação, dando origem a novos indivíduos. Uma característica que é importante nos caules, é que estes possuem botões vegetativos, também chamados de gemas. Quando estes entram em contato com o solo, pode enraizar e consequentemente formar uma nova planta completa. Isso acontece, por exemplo, com os caules prostrados, que são chamados de estolhos. Eles se desenvolvem sobre o solo, em contato com a superfície, suas gemas enraízam e formam as novas plantas que podem ser separadas da planta-mãe. Este é o caso do morangueiro e também da grama comum de jardim. As folhas também podem dar origem a novos indivíduos, como é o caso da fortuna e da begônia.

A reprodução sexuada

A reprodução sexuada

Foto: Reprodução

Como já foi dito anteriormente, nesse tipo de reprodução são formadas células especiais, chamadas de gametas. Onde um gameta feminino une-se a um gameta masculino através da fecundação que dá origem a um zigoto.

Os gametas são formados em estruturas chamadas gametângios. E são divididos em três tipos: isogamia, heterogamia e oogamia. Na isogamia, os gametas são idênticos, tanto quanto a sua forma e tamanho quanto ao seu comportamento e ambos possuem mobilidade. Na heterogamia, os gametas masculinos e femininos são móveis, mas um deles, geralmente o feminino, é bem maior que o outro. Na oogamia, um dos gametas é grande e não possui mobilidade, já o outro é pequeno e se move. Tanto a isogamia quanto a heterogamia são muito comuns em algas. Já a oogamia é frequente nas briófitas, Pteridófitas, gimnospermas, angiospermas e também nos animais.


Reportar erro