Resumo sobre a Guerra dos Canudos

Por Nayla Georgia

Resumo sobre a Guerra dos Canudos

Veja detalhes (resumo, causas e consequências) sobre a Guerra dos Canudos, conflito armado entre  a população do sertão da Bahia e o exército brasileiro.  | Imagem: Reprodução

Marcada por vários conflitos, a queda da Monarquia e instalação da República foi um dos momentos que mais se destacaram na história brasileira. Um desses conflitos foi a chamada Guerra de Canudos (1896 – 1897), um confronto entre a população de fundo sócio-religioso e o Exército da República.

Causas

Essa guerra aconteceu na comunidade de Canudos, interior da Bahia, e pode-se dizer que aconteceu por causa de vários fatores, como as graves crises econômicas e sociais em que se encontrava a região naquela época, as secas cíclicas, o desemprego e também uma onda de crença na salvação milagrosa dos cidadãos daqueles arredores, influenciados por um revolucionário chamado Antônio Conselheiro.

Antônio Conselheiro – Curiosidades sobre o líder da Guerra dos Canudos

  • Tido como um dos mais influentes líderes da Guerra de Canudos, Antônio Conselheiro foi um homem que acreditava piamente na salvação e sonhava com um Brasil justo para com as suas regiões.
  • Nascido na vila de Quixeramobim, interior do Ceará, Conselheiro cresceu em uma família que possuía um padrão de vida mediano, mas até confortável.
  • Durante a sua infância, pôde receber uma educação ampla e com o passar dos anos ele foi ganhando perspectivas maiores sobre o sertão e as suas contrariedades. Ao se mudar para Canudos em 1893, Antônio iniciou uma pregação religiosa que defendia o cristianismo primitivo.
  • Em geral, ele defendia que os homens deveriam se livrar das injustiças e opressões das quais eram impostos a aturar, buscando sempre a superação dos problemas de acordo com os valores da religião Cristã. Muitos fiéis acabaram por se identificarem com suas pregações e em poucos anos a região estava contando com cerca de 25.000 habitantes, o que levou Antônio a rebatizar a área com o nome de Belo Monte.

Resumo sobre o conflito em si e suas consequências

Como de praxe, as autoridades não gostaram de ver a população esperançosa e lutando pelos seus direitos, logo, ficou claro que Antônio Conselheiro era uma ameaça à ordem do local. Outro lado que não estava feliz com as pregações de Conselheiro era a Igreja, que alegava que os seguidores dele eram apegados à heresia e à depravação. O conflito contou com quatro expedições militares, sendo as três primeiras tentativas das tropas do governo derrotadas pelo arraial de Canudos. Os povos do sertão estavam armados e resistiram com grande força ao combate dos militares, porém na quarta tentativa as tropas do governo incendiaram o arraial, degolaram prisioneiros e mataram grande parte da população, mais precisamente a sua maioria unânime.