Revolta Praieira – Detalhes deste levante

A revolta praieira foi um movimento popular liberalista que aconteceu em Pernambuco, na época do Segundo Reinado


No início do Segundo Reinado, os liberais que apoiavam a chegada de Dom Pedro II tiveram sua ascensão interrompida devido a escândalos na esfera política. As chamadas ‘’eleições do cacete’’ ocorridas durante o processo de transição do período regencial para o segundo reinado foram manchetes dos mais importantes noticiários da época, com muitas denúncias sobre as diversas fraudes que deram a vitória aos liberais.

Revolta Praieira - Detalhes deste levante

Imagem: Reprodução

O imperador então passou a promover políticas de caráter centralizador, levando os liberais a se oporem a ele. Assim, duas frentes liberais dos estados de Minas e São Paulo fizeram um levante em protesto às ações, porém não tiveram muito espaço e logo foram contidos pelas forças militares do país.

Porém, por volta de 1840, os liberais do estado de Pernambuco iniciaram manifestações que a princípio criticavam a má distribuição de renda no estado. Estes expressavam suas ideias no Jornal Diário Novo que tinha sua sede na Rua da Praia. Sua agitação foi ficando cada vez mais com aspecto radicalista e os agitadores foram logo ficando conhecidos como ‘’praieiros’’ – termo que deu o nome ao levante, “Revolta Praieira“.

A Revolta Praieira

Os liberais do movimento não somente protestaram a má distribuição de renda no estado, como também defenderam o fim do monopólio comercial feito pelos portugueses, a extinção do poder moderador, mudanças sociais e econômicas, e a fundação do voto universal.

No ano de 1847, um presidente da província de Minas Gerais foi nomeado para deter a ação dos liberais pernambucanos. Com isso o movimento liberalista foi ganhando mais força, o qual tinha forte influência de correntes socialistas utópicas do século XIX.

Indignados com todo o autoritarismo apresentado com a nomeação feita em resposta a seus movimentos, os liberais praieiros se armaram e tomaram a cidade de Olinda. Um conflito civil foi desencadeado, onde contava com participação de artesãos, populares e até grandes proprietários.

Já no ano de 1849, os revoltosos tomaram conta da cidade do Recife e novamente conflitaram com forças providas do império. Foi nesse episódio que surgiu Pedro Ivo como um dos líderes populares.  Porém toda a disposição revoltosa não foi suficiente para mantê-la, pois faltava apoio por parte de outras províncias, e isso acabou por desestruturar o movimento, que teve seu fim no ano de 1851 quando o governo imperial deu fim de vez aos levantes.

O fim dessa revolta significou também o fim de toda e qualquer revolta popular de caráter liberal e separatista. Assim, o império consolidou a centralização do poder e conservou a unidade territorial do país.


Reportar erro