Crianças brasileiras se preocupam menos com o meio ambiente

Pesquisa aponta que 56% das crianças do Brasil possuem preocupação com a natureza. México, Venezuela e Chile apresentam 84%, 73% e 70%


“Sem um sentimento pelo mundo natural e sua função, sem uma intensidade de envolvimento nas experiências da infância, as pessoas não vão dedicar suas vidas à proteção”.

Esta foi a conclusão do artigo feito por George Monbiot, publicado no jornal britânico The Guardian. O tema abordado pelo autor diz respeito as consequências da falta de contato que as crianças possuem com a natureza.

Apesar do artigo em questão ter como base os hábitos da população inglesa, esta é uma realidade que se repete em todos os lugares do mundo, inclusive e, principalmente, no Brasil. Pois, de acordo com uma recente pesquisa, os brasileirinhos são os que menos se preocupam com o meio ambiente, quando comparados aos demais latino-americanos.

criancas-brasileiras-se-preocupam-menos-com-o-meio-ambiente

Foto: depositphotos

Crianças brasileiras e a preocupação com o meio ambiente

Um levantamento feito pela emissora de TV Nickelodeon mostrou que de todas as crianças latino-americanas, as brasileiras são as que menos dão importância ao meio ambiente. Segundo a pesquisa elaborada, 56% os baixinhos do Brasil possuem uma preocupação com a natureza e sua preservação.

Este número, mesmo sendo da maioria das crianças, coloca o país embaixo das nações da América Latina. Ainda de acordo com os dados, México, Venezuela e Chile apresentam índices de 84%, 73% e 70%, respectivamente.

Mas, o que pode ocasionar esta falta de interesse dos pequenos com relação à vida presente na natureza e todos os recursos que ela proporciona?

Levando em consideração o raciocínio de Monbiot, a ausência dos elementos naturais na vida das crianças transformam os pequenos em seres indiferentes com o futuro do meio ambiente. Cada vez mais a infância está condicionada aos aparelhos tecnológicos e, consequentemente, afastada do ar livre.

E o mais preocupante: este distanciamento é maléfico não só para a natureza, mas também para a própria saúde dos pequenos. Por isso, é importante reverter esta situação.

Técnicas para aproximar crianças e natureza

Além do incentivo dos pais, a escola também pode ajudar neste processo de aproximação entre os pequenos e a natureza.

Um bom exemplo é o que a Creche Municipal de Educação Infantil Padre Sabino Gentille, na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, está fazendo com seus alunos do Berçário I e Berçário II. Em parceria com o programa Paralaparacá, a creche levou os pequenos, professores e os pais para um passeio diferente: um banho de cachoeira.

A ideia da proposta é fazer com que as crianças tenham contato com a natureza logo cedo e que isso consiga incentivá-las a proteger o meio ambiente, criando um vínculo afetuoso com ele.

Além disso, o projeto consegue identificar os benefícios que a natureza proporciona, como: o estímulo a criatividade, dado pelo convívio com o verde, a melhoria na coordenação motora das crianças, transformação da concentração e ainda evitar problemas de saúde.


Reportar erro