De onde surgiu a ‘história’ dos palhaços assustadores

Você já deve ter ouvido falar sobre os “palhaços macabros” que estão aterrorizando pessoas em todo o mundo. Mas você sabe quando e onde começou isso tudo?


Os palhaços sempre foram sinônimo de diversão. Os profissionais costumam alegrar as festas e principalmente as crianças, com suas brincadeiras e pegadinhas. Mas essa realidade tem se tornado diferente.

Uma moda de se vestir de “palhaço macabro” para aterrorizar moradores, chegou aos Estados Unidos e se espalhou por diversos outros países, como Canadá, Suécia, Alemanha, Inglaterra e até mesmo o Brasil.

A onda dos palhaços com máscaras de terror tem causado uma grande dor de cabeça para a polícia. Só nos EUA já houve registros em 40 dos 50 estados do país. O atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, precisou se pronunciar diante dos casos e disse que a polícia precisa levar o assunto a sério. Ele teme que os casos piorem no dia das bruxas (31 de outubro).

De onde surgiu a 'história' dos palhaços assustadores

Foto: depositphotos

A polícia do Canadá recebeu queixas que havia palhaços aterrorizando diversas cidades, incluindo grandes centros como Ottawa e Toronto. Já na Alemanha, uma pessoa foi esfaqueada por outra que se vestia com a fantasia. Os casos dos palhaços fez com que o McDonald’s anunciasse que irá limitar as aparições do seu mascote, o palhaço Ronald McDonald.

O autor Stephen King, que deu origem ao bestseller It, com um icônico palhaço assustador, se manifestou nas redes sociais e pediu calma. “É hora de darmos um tempo na histeria. A maioria dos palhaços é boa, diverte as crianças e faz a gente rir”, escreveu.

Palhaços macabros no Brasil

Alguns desses palhaços começaram a assustar também a população brasileira. Já houve prisões de diversas pessoas que estavam fantasiadas e portavam armas ou estavam causando pânico nas pessoas, em lugares como Tocantins, Pernambuco, Bahia e São Paulo.

O que muito tem atrapalhado a polícia são os grandes números de boatos, imagens, vídeos e relatos falsos e o fato de muitos não estarem levando o caso a sério. Algumas pessoas ainda não entenderam a gravidade do assunto e estão usando as fantasias para “brincar de assustar as pessoas”.


Reportar erro