Entenda: as Olimpíadas e a Grécia Antiga

A competição nasceu na Grécia Antiga, em homenagem ao deus grego Zeus. O evento juntava atletas de toda a região


Os Jogos Olímpicos, é um evento que proporciona a reunião de atletas de países de várias partes do mundo. Os esportistas de ponta de cada nação, são enviados para o país que sedia as competições para representarem sua pátrias em diversas modalidades esportivas. Atualmente é considerado um dos grandes acontecimentos da modernidade. Porém, essa competição nasceu na Grécia, no ano de 776 a.C., na cidade de Olímpia, em homenagem ao deus grego Zeus. Indícios históricos apontam que os Jogos Olímpicos da antiguidade foram celebrados até o ano de 393.

As Olimpíadas e a Grécia Antiga

Foto: Pixabay

Os Jogos Olímpicos eram considerados a mais importante festa pan-helênica. A participação dos atletas nos jogos era restrita aos homens, esses vindos de várias cidades gregas. As competições também eram vistas como de fundamental importância na busca pela harmonia entre as cidades-estados gregas e na valorização da saúde do corpo. Além de não poder participar das competições, as mulheres também eram proibidas de assistir aos embates. Elas tinham uma competição própria, a “Heraea”, nome dado em homenagem a Hera, mulher de Zeus.

Dinâmica dos jogos

Na Grécia Antiga, os Jogos Olímpicos também ocorriam de quatro em quatro anos, realizados no santuário de Zeus em Olímpia, que era feito de mármore cristalizado situado na região ocidental do Peloponeso, que também ficou conhecido como Monte Olimpo, ponto mais alto da Grécia. As modalidades disputadas pelos atletas na antiguidade eram formadas por arremesso de disco, corrida, natação, pentatlo, boxe, luta, salto a distância, entre outros.

Na época da realização da competição esportiva costumava ocorrer uma trégua nas guerras e conflitos, que ficou conhecida na histórica como “paz olímpica”. Ela garantia a segurança para os atletas que tinham que se deslocar de suas cidades-estado até Olímpia, local de realização dos jogos.

Até 472 a C. as provas eram realizadas num único dia, Depois disso, os Jogos Olímpicos passaram a acontecer por cinco dias. O primeiro dia era dedicado a cerimônia de abertura, onde eram executadas músicas e aberto espaço para que os atletas fizessem seus juramentos. No segundo, começavam as competições de pentatlo e provas a cavalo. O terceiro dia era destinado a uma festa aos atletas, árbitros e pessoas da aristocracia grega, pois geralmente as pessoas que participavam da competição eram oriundas de classes sociais mais elevadas. No quarto dia ocorriam às provas de corrida, boxe, luta e pancrácio (luta corporal sem armas). O quinto dia era dedicado a cerimônia de encerramento, com a premiação dos atletas vencedores.

Os vencedores das competições eram tratados como heróis em suas cidades-estado. Eles ganhavam prêmios que simbolizavam a honra e a glória conquistada, condecorados com coroas de louro e ramos de palmeira.

Decadência dos Jogos Olímpicos

Após anos de realização do evento, os Jogos Olímpicos originais tiveram sua realização proibidas pelo imperador romano Teodósio I em 393, como parte da campanha para impor o cristianismo como religião estatal. Ele entendeu que a comemoração era parte de uma manifestação de rituais do paganismo. Além disso, diversas invasões e conflitos responsáveis pela tomada da Grécia contribuíram para a extinção.

Os Jogos Olímpicos só foram retomados no final do século XIX, já na era moderna. Eles trouxeram grandes modificações na organização, como a reunião de algumas modalidades esportivas contemporâneas e competidores de todos os países do mundo.


Reportar erro