Enzimas – Funções e classificação

As enzimas são substâncias que possuem função catalisadora, ajudando a agilizar o trabalho do nosso organismo. Saiba mais lendo nosso artigo.


É comum ouvirmos falar sobre as enzimas, do quanto elas são importantes no nosso organismo e da sua função catalisadora no nosso sistema biológico. Porém, de fato, o que vem a ser uma enzima? Qual seu real papel e o que ela representa no nosso organismo?

Normalmente nosso organismo se depara com um sistema orgânico lento e pouco espontâneo, que depende exclusivamente do trabalho das chamadas enzimas para que possa ter um funcionamento metabólico melhor, de maneira mais regular e específica. Dizemos que essas enzimas funcionam como catalisadores celular, pois elas facilitam com que aconteçam certas reações internas de nosso corpo, dando uma melhor agilidade quando de certa forma as coisas costumam ocorrer mais devagar.  Se não fossem as enzimas, diversas reações do nosso metabolismo aconteceriam de maneira exageradamente lenta, o que iria prejudicar e muito o nosso sistema. Elas agilizam as reações químicas das células aumentando a velocidade com que elas trabalham, assim, a sua atuação se torna mais eficaz, fazendo com que haja um melhor desempenho.

Mecanismo de ação das enzimas

Mecanismo de ação das enzimas | Imagem: Reprodução

Classificação das enzimas

Sabendo que as enzimas nada mais são do que proteínas que tem a função de diminuir a energia de ativação ao mesmo tempo em que aumenta a velocidade dessa reação, sem que o produto final seja alterado ou que ela seja consumida, o que facilita para que ela trabalhe por várias vezes seguidas, podemos classificar essas biomoléculas de acordo com os vários critérios pelos quais elas estão envolvidas:

  • Hidrolases – São aquelas enzimas que se associam a moléculas de água para promoverem a quebra das ligações covalentes, como a Peptidases por exemplo;
  • Ligases – São responsáveis por formar novas moléculas através da união de duas já pré-existentes, como a Sintetases;
  • Oxidoredutases – São responsáveis por efetuar a transferência de elétrons, o que podemos definir como oxi-redução. Exemplo: Desidrogenases;
  • Transferases – São aquelas enzimas que tem como finalidade realizar a translocação de grupos funcionais como grupamento amina, carbonila, carboxila, fosfato, de uma molécula para outra. Podemos citar como exemplo a Quinase.
  • Liases – Atuam na remoção de molécula de água, gás carbônico e amônia, a partir da ruptura de ligações covalentes. A Descarboxilase pode ser dada como um exemplo de liases;
  • Isomerases – Responsáveis por mediar a conversão de substâncias isoméricas, sejam eles geométricos ou ópticos, como a Epimerases, por exemplo.

Influências externas nas enzimas

Existem alguns fatores que podem contribuir para que a enzima tenha algum tipo de disfunção e consequentemente se torne inativa, entre essas influencias externas podemos citar quando acontece a diminuição da temperatura ou pH. Mas algumas enzimas também possuem um número excelente de PH, e um exemplo clássico e simples que podemos dar disso é o que acontece no nosso estômago, quando as pepsinas, que possuem um pH  ácido por volta de 2 fazem com que nossa digestão aconteça de forma mais rápida, melhorando assim nosso condicionamento, por isso é tão comum vermos alimentos dando destaque a sua função digestória, graças a utilização das enzimas que efetuarão um bom trabalho na digestão do alimento em união com outras moléculas.

É interessante também salientar que a temperatura adequada não pode ser nem baixa nem elevada demais, pois do mesmo jeito que as baixas podem causar a inativação da enzima, como foi citado anteriormente, a temperatura elevada pode levar a sua desnaturação. Podemos entender então que mesmo tendo um papel tão importante elas são muito sensíveis, por isso que quando estamos com alto teor de febre é tão importante baixarmos a temperatura, pois essa alta taxa de calor no corpo pode acabar por causar a desnaturação dessas enzimas.


Reportar erro