Filogenia

Já ouviu a palavra filogenia? Está representa um estudo de espécies evolutivas, que avalia desde os descendentes até os ascendentes dos grupos de seres.


Ao criarmos a nossa árvore cronológica começamos, no mínimo, desde dos nossos avós até chegarmos em nosso surgimento. Nesse exemplo, podemos observar como os nossos antepassados eram e como tudo foi se passando até o dia de nossa origem. Certamente você deve ter algum traço que lembre a sua avó materna ou um tio paterno que foram sendo passados de geração para geração até chegar em você.

Esse processo assemelha-se ao que chamamos na biologia de filogenia, ou filogênese. Esse é um estudo para levantar e definir hipóteses evolutivas de espécies desde os seus ancestrais até os mais recentes seres. Neste artigo, o Estudo Prático explica essa relação e como surgiu essa ciência.

Do passado para o presente

Willi Henning foi o responsável pela pelo estudo filogenético das espécies, chamado de sistemática filogenética. Nesse ponto de vista, são estudados grupos monofiléticos, isto quer dizer que eram apenas espécies provenientes de um mesmo ancestral.

Na teoria da evolução, sabemos que qualquer grupo de espécies, em algum momento da história, teve indivíduos em comuns. Sendo assim, descendentes destes, com modificações, resultando a seleção natural. Em outras palavras, entender a filogenia é bem semelhante a observação da árvore cronológica, pois temos a representação dos antepassados de baixo para cima, até chegarmos nas espécies mais evolutivas ou mais adaptadas.

De acordo com a imagem abaixo, em que está representada uma árvore filogenética, observa-se o ancestral na ponta inferior com ramificações e, a cada divisão que ocorre, chamamos de evento de especiação. Neste estágio há uma divisão da linhagem ancestral, dando origem a duas ou mais gerações.

Filogenia

Imagem: Reprodução/ internet

Cada descendente possui uma história única e outra compartilhada com outras espécies. Ainda tomando como exemplo a imagem anterior, é possível observar que três e quatro possuem uma história isolada com ancestrais diferentes. Mas em algum momento do passado, ambos tiveram um antecessor em comum.

Outra partícula presente e estudada na filogenia é o clado, que sempre irá existir mais de um em cada espécie. Essas estruturas são denominadas pelo conjunto de ancestral comum com todos os descendentes desse primeiro. Veja o exemplo abaixo e observe os clados.

Clados

Imagem: Reprodução/ internet

Assim, um clado está dentro de um clado maior. É possível então, afirmar que um clado pode abrigar várias espécies ou apenas algumas. E lembre-se de que um clado deve ter ancestral em comum, caso contrário não pode ser denominado como tal.

Como ocorre a filogenia?

A troca de informações de uma espécie para a outra ocorre de duas maneiras: transferência vertical e transferência lateral. A diferença entre essas duas maneiras é que no primeiro caso as características são passadas de progenitores para os seus descendentes. Já na segunda situação, a transmissão dos genes das espécies ocorre de organismos sem parentesco definido, sendo muito comum em seres procariontes, como as bactérias.


Reportar erro