Guerra da Cisplatina – Causas deste conflito entre Brasil e Uruguai

Durante o período do Brasil império houve a guerra da Cisplatina (contra o Uruguai) mediante a anexação dessa região. Veja as causas desta história.


Dois motivos em especial fizeram Dom João VI, rei da época, ter grande interesse pela região da Cisplatina. Primeiramente os até então ocupantes da região, liberais e abolicionistas, significavam ameaça à sua hegemonia no Brasil, e por isso ele temia que a independência da região pudesse inclusive servir de inspiração para outros movimentos do tipo. Além disso, sua esposa, Carlota Joaquina – irmã do rei da Espanha – queria tornar-se a rainha da prata e assumir como regente de seu irmão Fernando VII, tornando-se autoridade naquela região. A anexação do território então evitaria a ocorrência dos ocupantes além de satisfazer o desejo de sua mulher.

Guerra da Cisplatina - Causas deste conflito entre Brasil e Uruguai

Imagem: Reprodução

Porém, no processo de independência brasileira juntamente com a saída de Dom João VI do Brasil, a região da Cisplatina foi cenário para uma das revoltas promovidas contra o reconhecimento do Estado Brasileiro. Os revoltosos da região buscavam aproveitar-se da situação para que a anexação do território por parte de Dom João VI fosse invalidada. Houve assim movimento de emancipação da Cisplatina, cujo líder Juan Antonio Lavalleja obteve forte apoio da Argentina. Tudo isso significava uma resposta à incoerência que se tinha da dominação brasileira sob um território totalmente diferente em termos históricos e culturais de todo o resto do país.

O imperador sucessor de João, Dom Pedro I não fez reconhecido o pedido de autonomia feito pelos revoltosos. Assim, em meados de 1825, o governo declarou guerra aos revolucionários. O conflito gerou um grande esvaziamento de cofres brasileiros. Então o governo teve que realizar um recrutamento forçado de populares. Devido a isso, em um curto período de tempo, Dom Pedro foi fortemente atacado politicamente, pois as dificuldades enfrentadas eram muitas, e não se sabia se valeria a pena todo o investimento pela conquista de um espaço tão pequeno.

Durante os três anos de duração da guerra houve sucessivas derrotas brasileiras que levaram a contração de mais dívidas, concluía-se então que a guerra em questão era algo totalmente equivocado. Por fim, os revolucionários saíram vitoriosos e acabaram por formar a República Oriental do Uruguai, que foi dada a partir do firmamento de paz feito em 1828 na Convenção Preliminar de Paz no Rio de Janeiro. A derrota da nação brasileira e consequente aumento das dívidas provocaram intensas críticas e questionamentos acerca de Dom Pedro I e sua postura mediante o trono brasileiro.


Reportar erro