Mutação

Chamamos de mutações, em biologia, algumas alterações que acontecem na sequência dos nucleotídeos do material genético de um determinado organismo. Estas podem acontecer devido…


Chamamos de mutações, em biologia, algumas alterações que acontecem na sequência dos nucleotídeos do material genético de um determinado organismo. Estas podem acontecer devido à erros de cópia do material genético durante a divisão celular, por exemplo, causada por exposição à radiação ultravioleta ou ionizante, mutagênicos químicos ou ainda vírus.

Acontece, também, a hipermutação, que são processos em que as células acabam causando mutações de forma deliberada. Quando estamos falando em mutações que acontecem em seres multicelulares, podemos dividi-las entre mutação de linhagem germinativa e mutações somáticas. No primeiro caso, as mutações são transmitidas aos descendentes, e no segundo caso isso não acontece.

Isso, no entanto, não é totalmente aplicável às plantas de forma eficiente, pois algumas delas podem transmitir mutações somáticas de forma assexuada ou sexuada.

Consequências

Quando há uma mutação que não foi herdada dos pais, chamamos de mutação de novo. Suas fontes, no entanto, não estão relacionadas com os efeitos, por mais que os efeitos estejam relacionados com as células afetadas por essa mutação.

Mas quais as consequências dessas mutações? Elas acabam gerando, a longo prazo, variações no conjunto de genes da população. Existem as mutações desfavoráveis, que são também conhecidas como deletérias, e podem acabar sendo reduzidas na população por meio da seleção natural. Já as mutações favoráveis, também conhecidas como benéficas ou vantajosas, podem trazer mudanças evolutivas adaptativas, tendo como consequência a evolução da espécie.

As borboletas podem, por exemplo, produzir uma prole com novas mutações, mas a maioria delas não terá efeito. Pode ser, no entanto, que uma delas mude a cor dos descendentes desse determinado indivíduo, gerando dificuldades ou facilidades para que sejam vistos por predadores. Quando as mudanças que acontecem são vantajosas, a borboleta sobrevive e passa a produzir a sua própria prole com as alterações, constituindo, com o passar do tempo, uma nova população.

Mutação

Foto: Reprodução

Mutações neutras

Apesar de existirem as mutações favoráveis e as mutações desfavoráveis, existem também as neutras. Essas são as que não trazem efeitos que sejam capazes de influenciar na aptidão dos indivíduos. Isso pode acabar se acumulando ao longo do tempo, no entanto, graças à deriva genética.

Alguns cientistas acreditam que a maioria das mutações pertencem à esse grupo, cuja teoria foi desenvolvida no livro The Neutral Theory of Molecular Evolution de Motoo Kimura. Além dessa crença, tem-se que a maioria das mudanças são corrigidas por meio de mecanismos de reparo de DNA antes que se tornem efetivamente mutações.


Reportar erro