Sistema Respiratório

O sistema respiratório é formado por todos os órgãos que têm como função exercer alguma participação na troca gasosa entre o organismo dos animais e…


O sistema respiratório é formado por todos os órgãos que têm como função exercer alguma participação na troca gasosa entre o organismo dos animais e o meio ambiente – a hematose pulmonar –, o que torna possível a respiração celular.

Função

Esse sistema tem como principal função facultar ao organismo a troca de gases com o ar atmosférico. Isso garante, de forma permanente, a concentração de oxigênio no sangue, que é essencial para que as reações metabólicas ocorram. Também atua como forma de eliminar os gases residuais resultantes das reações, sendo representados pelo gás carbônico.

Como é formado?

O sistema é formado por vias ou tratos, como também são chamadas, respiratórias inferior e superior, sendo que o primeiro é formado por aqueles órgãos que estão localizados fora da caixa torácica, que são o nariz externo, cavidade nasal, faringe, laringe, além da parte superior da traqueia. O trato respiratório inferior, por sua vez, refere-se àqueles órgãos que estão localizados na cavidade torácica, que são a parte inferior da traqueia, os brônquios, bronquíolos, alvéolos e pulmões, assim como as camadas das pleuras e os músculos que formam a cavidade torácica.

Sistema tem como principal função facultar a troca de gases com o ar atmosférico

Foto: Reprodução/ internet

Vias aeríferas

As vias aeríferas referem-se às porções de um tubo irregular que devem ser percorridas pelo ar para que o intercâmbio dos gases ocorra ao nível dos pulmões. São elas:

  • Nariz

O nariz é a parte externa utilizada para sugar o ar que respiramos: trata-se de uma protuberância localizada no centro da face, cujo formato é de uma pirâmide triangular com base inferior e face posterior que se ajusta no 1/3 médio da face de forma vertical. Sua parte exterior é denominada nariz externo, e a escavação interior é conhecida como cavidade nasal. As saliências semilunares laterais do nariz recebem a denominação de asas do nariz, e abrigam as narinas, por onde o ar é canalizado.

Depois que entra pelas narinas, o ar passa pelas cavidades nasais direita e esquerda, revestidas por mucosa respiratória, que são divididas pelo septo nasal. Dentro das narinas, existem pequenos pelos que tem como função filtrar as partículas de poeira que são inaladas. Existem ainda, na cavidade nasal, algumas células receptoras para o olfato.

A cavidade nasal é, por sua vez, a escavação no interior do nariz, subdividida em compartimento direito e esquerdo, sendo que cada um deles contêm um orifício anterior, que é a narina que já citamos, e um posterior, chamado de coana.  Essas coanas são responsáveis por comunicar a cavidade nasal com a faringe.

  • Faringe

Faringe é o nome dado ao tubo que começa nas coanas e continua até a parte inferior do pescoço, estando situada atrás das cavidades nasais e à frente das vértebras cervicais. Sua função é atuar na passagem de ar e alimentos, e é dividida em três regiões anatômicas, que serão descritas a seguir:

  1. Nasofaringe é como chamamos a porção superior da faringe. Ela tem duas comunicações com as coanas, dois óstios faríngeos das tubas auditivas e com a orofaringe. As tubas auditivas se comunicam por meio do ósteo faríngeo, que conecta a parte nasal da faringe com a cavidade média timpânica do ouvido.
  2. Orofaringe é a parte intermediária, situada atrás da cavidade oral que se estende do palato mole até o nível do hióide, tendo, inclusive, comunicação com a boca e servindo de passagem para alimentos além do ar.
  3. Laringofaringe é a parte que se estende para baixo, a partir do osso hióide, e faz conexão com o esôfago e com a laringe.
  • Laringe

O órgão conhecido como laringe é curto e conecta a faringe com a traquéia, e está situada na linha média do pescoço. Possui três funções principais, que são atuar como passagem do ar durante a respiração, produzir o som – voz – e impedir que alimento e objetos estranhos entrem nas estruturas respiratórias.

  • Traqueia

A traqueia, por sua vez, é o nome dado ao tubo que tem entre 10 e 12,5 centímetros de comprimento e 2,5 centímetros de diâmetro, e faz continuação à laringe, penetrando no tórax e termina com uma bifurcação os dois brônquios principais, que são o direito e o esquerdo.

  • Brônquios

Os brônquios são principais, lobares e posteriormente bronquíolos e alvéolos. Confira:

  1. Os brônquios principais são aqueles que ligam a traqueia aos pulmões, e são o direito e o esquerdo, sendo que o direito é mais vertical, largo e curto do que o esquerdo, e entram nos pulmões em uma região denominada HILO. Subdividem-se, ao chegar nos pulmões, em brônquios lobares.
  2. Brônquios lobares se dividem em seguida em brônquios segmentares, sendo que cada um deles se distribui a um segmento distinto pulmonar.
  3. Os brônquios em seguida dividem-se em tubos cada vez menores, que são os bronquíolos. Estes continuam a ramificação, dando origem aos minúsculos túbulos que são chamados de ductos alveolares, que terminam em estruturas minúsculas denominadas alvéolos.
  4. Estes, por fim, são sáculos de ar minúsculos, que constituem o final das vias respiratórias. Eles têm como função trocar oxigênio e dióxido de carbono por meio da membrana capilar que os envolve.
  • Pulmões

Os pulmões, por fim, tem uma forma que lembra uma pirâmide com um ápice, uma base, três bordas e três faces. São órgãos essenciais na respiração e estão localizadas no interior do tórax, onde o ar atmosférico se encontra com o sangue circulante para, finalmente, ocorrer as trocas gasosas. O pulmão direito é mais espesso e mais largo que o esquerdo e ambos pesam, em média, 700 gramas e têm 25 centímetros de altura.


Reportar erro