,

Confira a importância do leite para a saúde

Alimento é alvo de polêmicas. Descubra-as

O leite já foi considerado o manjar dos deuses. Há quem o ame e aqueles que já o cortaram das suas dietas. Neste artigo você vai entender a importância do leite para a saúde e quais são as polêmicas que envolvem essa bebida.

É inegável a importância do leite materno para a saúde do ser humano. Ele é rico em nutrientes e anticorpos, como afirma a nutricionista Luciana Harfenist, no seu site sobre nutrição clínica e funcional. “O leite é composto por mais 200 substâncias fundamentais e adequadas para a espécie humana. O aleitamento materno protege as crianças de varias doenças como: Otites, Alergias, Vômitos, Diarreia, Pneumonias, Bronquiolites, Meningites”.

Mas não é só o leite materno que é importante para a saúde. O leite de origem animal ou vegetal também dá contribuições significativas para uma dieta adulta. Confira algumas razões para você inclui-lo no seu cardápio e aproveitar o valor nutritivo desse alimento.

Razões para consumir leite

Muitas são as razões que justificam o consumo do leite para o bem da saúde (Foto: depositphotos)

O leite previne a síndrome metabólica, a diabetes tipo 2, a osteoporose e reduz a pressão arterial. Além disso, é uma bebida rica em cálcio, mineral que tem papel importante para o bom funcionamento dos músculos e transmissão de impulsos nervosos.

Além disso, ele é um alimento que compõe uma diversidade de outras receitas. Portanto, indicar o consumo de leite é facilitar a vida de quem cozinha seu próprio alimentos pois pode utilizar seus derivados, como manteiga, queijo, requeijão, creme de leite, leite condensado e iogurte nos seus preparos.

Outra razão para consumir leite é que, se comparado a outros alimentos com características nutricionais semelhantes, ele é mais barato. O site do médico Drauzio Varella dá uma estimativa importante: o preço das hortaliças (que podem substituir o leite), é mais alto que o litro do leite.

Embora a diferença entre os valores seja pequena, isso faz a diferença no orçamento do brasileiro comum. Portanto, esse é mais um motivo para que o consumo do leite seja indicado.

Por último, o leite deve ser consumido ainda pois ele atende às expectativas dos hábitos alimentares dos brasileiros, que possuem ainda pouco costume de comer frutas e hortaliças. Ficando bem aquém da recomendação de 400 gramas dada pela OMS, a Organização Mundial de Saúde.

Logo, o sabor do leite e seus derivados agrada ao paladar em geral e fica bem mais fácil de suprir a necessidade de cálcio no organismo.

Posso substituir o leite por outro alimento?

Alimentos que possuem benefícios similares ao leite pode ser colocados em seu lugar na dieta

É possível substituir o leite por alimentos que possuem benefícios similares (Foto: depositphotos)

Muitas pessoas deixaram de consumir o leite de origem animal. Além dos veganos, há aqueles que acreditam que somente o ser humano continua tomando leite depois de adulto.

Porém, na opinião de alguns especialistas, o leite só pode ser retirado da dieta de uma pessoa se ela tiver intolerância à lactose. Quem tem esse problema, sente sintomas nada agradáveis logo após consumir a bebida e, por isso, deve diminuir seu consumo ou até mesmo cortar da dieta.

Outros problemas de saúde também pedem o consumo moderado de leite. Como aqueles pacientes que possuem a Doença de Crohn (doença crônica inflamatória intestinal), úlcera, gastrite e refluxo.

Nesses casos, o leite pode ser substituído por outros tipos de alimentos que também suprem a necessidade de cálcio do nosso organismo. O brócolis, espinafre, couve, castanhas-do-pará, amêndoas e tofu são fontes ricas nesse mineral.

Por exemplo, 100 ml de leite têm 107 mg de cálcio, enquanto 100 gramas de brócolis têm 513 mg de cálcio; 100 gramas de feijão branco tem 476; 100 gramas de sardinha tem 482 mg; 100 gramas de queijo minas tem 579; 100 gramas de espinafre tem 136 mg de cálcio entre outros.

O ideal é que o leite seja apenas parte de uma alimentação equilibrada. Até porque para suprir a necessidade de cálcio do organismo por dia, seria necessário tomarmos mais de um litro de leite.

Dessa forma, um prato colorido e refeições que contenham elementos de vários grupos alimentares é o mais indicado por nutricionistas e nutrólogos.

O leite vegetal substitui o leite comum?

Leite tradicional pode ser substituído perfeitamente pelo vegetal

Leite vegetal é uma das melhores opções para substituir o leite tradicional (Foto: depositphotos)

Há uma tendência muito forte para substituir o leite de origem animal pelo vegetal. Ele pode ser feito tendo como base a linhaça, amendoim, castanha de caju, quinua, coco, sementes de abóbora, nozes, aveia, gergelim, girassol, castanha e arroz integral.

De acordo com o site da médica Michelle Ritzmann, conhecida como Dr. Ritz, “uma boa opção para quem deseja reduzir ou eliminar o consumo de lactose, os leites vegetais são frescos, saborosos, além de super nutritivos. Além de não sofrer por carência de nutrientes, com o consumo dos leites vegetais podemos inclusive ganhar fibras, minerais e muita saúde”.

A especialista dá dicas para aproveitar melhor o leite vegetal no lugar do leito comum. A médica aconselha não ferver o leite vegetal, mas somente esquentar. Outra dica é lavar muito bem as sementes antes de começar a extração do leite e depois reaproveitar esses grãos em receitas saudáveis.

O cálcio é muito importante para a saúde. O leite materno é inquestionável para o desenvolvimento dos bebês. Já o consumo do leite de origem animal e vegetal ainda é alvo de polêmicas e há aqueles que os defendem ou condenam.

Independentemente das polêmicas, o consumidor deve procurar a orientação de um nutricionista caso opte por substituir essa bebida na sua dieta para que não sofra com a carência de cálcio no organismo.

Veja tambémO que é alimentação funcional; veja e descubra

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.