,

Golpe de 1964

Contexto histórico

No ano de 1961, Jânio Quadros tomou posse e, logo em seguida, renunciou ao mandato. Sua esperança era de que pudesse aplicar um auto-golpe, renunciando para voltar ao poder por meio de um pedido da população, que aceitaria apenas diante de uma proposta de poderes absolutos. Isso não funcionou, e seu vice, João Goulart, assumiu a presidência. João, mais conhecido como Jango, tinha ideologias de esquerda, e por ser considerado uma ameaça, foi acusado pelos militares de ser comunista.

No dia 13 de março, Jango e Leonel Brizola discursaram na Central do Brasil, no Rio de Janeiro, declarando as Reformas de Base. Os oposicionistas se organizaram em pouco tempo, e realizaram a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, seis dias depois, com o objetivo de envolver a população no combate ao comunismo.

Os principais fatores que influenciaram e permitiram a ocorrência do golpe militar foram a instabilidade política durante o governo de João Goulart, alto custo de vida enfrentado pela população, a promessa da Reforma de Base, o medo que a classe média tinha da implementação do socialismo no Brasil, e o apoio que os militares brasileiros receberam da Igreja Católica, dos setores conservadores, da classe média e dos Estados Unidos.

Golpe de 1964

Foto: PUC PR

Como aconteceu o Golpe?

Nesse contexto, o Golpe de 64 começou a tomar forma quando os generais Olímpio Mourão Filho e Odílio Denys, unidos ao governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto, se reuniram em Juiz de fora, no dia 28 de março de 1964. O encontro visava à determinação de uma data para começar a mobilização militar e a tomada do poder.

Apesar de a data determinada ser 4 de abril de 1964, o general Olímpio não quis esperar e no dia 31 de março avançou com suas tropas durante a madrugada em direção ao Rio de Janeiro. Apesar de Castello Branco ter tentado frear o movimento, pois ainda não era maduro o suficiente, já era tarde.

O general Âncora, aliado à Jango, recebeu ordens de para prender Castello Branco, mas não a cumpriu alegando que não queria iniciar uma guerra civil. Quando João Goulart se deparou com as tropas, abandonou a presidência e se refugiou no Uruguai. A partir de então, o Congresso Brasileiro tomou medidas que tornariam o golpe legalizado, fazendo com que os militares elegessem os presidentes indiretamente. Castello Branco, dessa forma, tornou-se presidente e começou a implementar mudanças no Brasil.

O golpe militar durou até o ano de 1985, com a entrada de Tancredo Neves, que foi o primeiro presidente civil desde 1964.

Medidas do Golpe de 64 e da Ditadura Militar

  • Alteração do papel do exército como autor do poder e de um regime autoritário;
  • Contrário às reformas de base nacional-populistas;
  • Milagre econômico: entrada de capitais externos e aumento da dívida externa;
  • Censura dos meios de comunicação, artistas, músicos, atores, etc.;
  • Lei de Segurança Nacional: violenta repressão política com prisões, interrogatórios e tortura de suspeitos de comunismo ou simpatizantes, principalmente estudantes, jornalistas e professores;
  • Implantação do bipartidarismo: ARENA (Governo) e MDB (oposição controlada pelo Governo);
  • Controle dos sindicatos.