Camada de valência

Chamamos de camada de valência, a última camada de distribuição eletrônica de um átomo, ou ainda o nível de maior número quântico principal e…


Chamamos de camada de valência, a última camada de distribuição eletrônica de um átomo, ou ainda o nível de maior número quântico principal e secundário na distribuição eletrônica. A última camada a receber elétron, possui elétrons que participam de alguma ligação química, pois são os mais externos.

Camada de valência

Foto: Reprodução

O diagrama de Pauling

De acordo com o diagrama de Pauling, os átomos podem possuir sete camadas de distribuição atômica, denominadas K, L, M, N, O, P e Q, e cada uma delas possui um número máximo de elétrons, sendo, respectivamente 2, 8, 18, 32, 32, 18 e 2. De acordo com a teoria do octeto, a camada de valência precisa – na maioria dos átomos – de 8 elétrons para ser estável e, quando não há estabilidade, os átomos tendem a fazer ligações químicas com alguns elementos que possam lhes proporcionar os elétrons que estão faltando.

Quando falamos em gases nobres, exceto o Hélio, todos são estáveis, possuindo 8 elétrons em sua camada de valência. Dessa forma, não precisam de ligações químicas para alcançar a estabilidade.

Ligações químicas

Existem vários tipos de ligações que os átomos podem realizar para obter estabilidade, no entanto, as mais importantes são a ligação iônica e a ligação covalente.

Ligação Iônica

A ligação iônica é como chamamos quando um átomo “doa” uma determinada quantidade de elétrons da sua camada de valência para outro átomo, para que ele vire um cátion – átomo com carga elétrica positiva, ou seja, possui mais prótons do que elétrons -, e o que recebeu seus elétrons vire um ânion –  átomo que possui carga elétrica negativa, ou seja, mais elétrons do que prótons.

Ligação Covalente

Neste caso, ao invés de doar os elétrons, os átomos compartilham de forma que os dois possam alcançar a estabilidade. Como exemplo, podemos citar a água, onde dois átomos de hidrogênio compartilham seus elétrons com o átomo de oxigênio, fazendo com que os três alcancem a estabilidade.

Por meio da representação da tabela periódica, podemos, com uma breve análise, definir a quantidade de elétrons da última camada de cada grupo. Os grupos 1, 2, 13, 14, 15, 16 e 17 possuem, respectivamente, 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7 elétrons em sua camada de valência. Para o restante dos elementos, podemos identificar o número de elétrons da camada de valência por meio da representação da distribuição eletrônica.

Ex. Ferro

Fe: número atômico 26

Distribuição eletrônica: 1s² 2s² 2p6 3s² 3p6 4s² 3d6.


Reportar erro