Cavernas brasileiras

As cavernas nada mais são do que espaços vazios que se desenvolvem no interior de rochas devido ao percurso das águas aciduladas entre um…


As cavernas nada mais são do que espaços vazios que se desenvolvem no interior de rochas devido ao percurso das águas aciduladas entre um local onde a água penetra da superfície, conhecido como sumidouro, e um ponto onde ela emerge, conhecido como ponto de ressurgência. Consideradas atualmente patrimônios da humanidade e preservadas contra a destruição, as cavernas têm importância para a história e para a natureza. Algumas delas contêm escritas indígenas e hieróglifos que contavam sobre as lutas e suas maneiras de viver, o que tornou possível complementar a história do nosso passado. Muitas cavernas começaram a ser destruídas quando a civilização invadiu as terras dos índios, fazendo com que muita história fosse perdida.

Cavernas brasileiras

Foto: Reprodução

As cavernas no Brasil

Repleto de cavernas, o Brasil apresenta estruturas que ainda não foram exploradas pelos homens, continuando intactas com sua formação original. Algumas cavernas, no entanto, atualmente já foram descobertas e são usadas como atração turística, cada uma com uma beleza peculiar.

Atualmente, existem certa de 4300 cavernas em território brasileiro cadastradas na Sociedade Brasileira de Espeleologia, mas estudiosos da área acreditam que possam existir mais de 100 mil por todo o país. Com a mais rica fauna cavernícula da América do Sul, as cavernas do Brasil contam com mais de 600 espécies classificadas. Muitas cavernas, inclusive, apresentam ossadas e vestígios fósseis dos grandes mamíferos que viviam no período Plêistocênico – entre 10 mil anos e 1 milhão de anos atrás -, além de vestígios de povos antigos, como as pinturas rupestres e outros.

Em São Paulo, destacam-se a Caverna de Santana e a Caverna do Diabo, além de outras situadas na região do Vale do Ribeira abrigadas pelos Parques Estaduais do Alto Ribeira, Jacupiranga e Intervales; em Minas Gerais, são destaque as grutas de Lapinha, Rei do Mato e Maquiné; no Ceará a Gruta de Ubajara; no Paraná as Furnas de Vila Velha – com mais de 100 metros; no Mato Grosso do Sul, destaca-se a Gruta do Lago Azul; e na Bahia, na Chapada Diamantina, diversas cavernas estão localizadas.

Características das cavernas brasileiras

Caracterizadas normalmente pela ausência de luz, pequena variação de temperatura e umidade e pela falta de vegetação clorofilada, as cavernas normalmente têm presença de minérios como calcários, arenitos, quartzitos e outras rochas, além de ecossistemas muito peculiares. A fauna cavernícula envolve animais como peixes cegos e albinos que são restritos a esses ambientes. Além disso, alguns animais que podem ser encontrados na área externa como morcegos, usam as cavernas como abrigo em períodos que não condizem com seu ciclo de vida.

No Brasil, mais especificamente na Bahia, encontra-se a maior gruta da América do Sul e a 19ª do mundo inteiro, com 65,5 km de desenvolvimento: a Toca da Boa Vista. Além disso, a caverna com a entrada mais alta é a Gruta Casa de Pedra, localizada em São Paulo com 215 metros de altura, e em Minas Gerais estão a maior gruta e o segundo abismo mais profundo do mundo, que são, respectivamente, a Gruta das Bromélias com 2560m e a caverna do Centenário, que atinge 300 metros de profundidade.


Reportar erro