O Império Muçulmano

Na Península Arábica, situada entre o Mar Vermelho e o Golfo Pérsico, entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Índico, aconteceram as primeiras revelações…


Na Península Arábica, situada entre o Mar Vermelho e o Golfo Pérsico, entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Índico, aconteceram as primeiras revelações a Maomé. O clima da região é extremamente quente e seco e predominam desertos apesar de haver alguns oásis que garantem a sobrevivência na região.

O Império Muçulmano

Foto: Reprodução

O comércio era uma das principais atividades econômicas nessa região naquela época. Em Meca, cidade natal de Maomé, o comércio era controlado pelos coraixitas. Diversas pessoas passavam por aquelas rotas comerciais e o intercâmbio cultural e religioso era intenso, predominando diversos cultos politeístas. A cidade era, para todos os povos politeístas, importante e fundamental uma vez que era lá que se encontrava a Caaba, santuário que abrigava imagens de todos os deuses e da Pedra Negra Sagrada.

Maomé

Órfão desde menino, Maomé começou a trabalhar cedo como mercador, conhecendo, ao percorrer as diversas regiões, costumes e tradições diversas. Casou-se com uma viúva rica que se impressionou com seus dons comerciais. Com algum dinheiro da esposa, pode se dedicar mais aos seus interesses religiosos e foi quando começou a receber revelações sagradas. As mensagens diziam que havia um único Deus, Alá, e um único profeta, Maomé. Com a continuidade das revelações, ele começou a pregar suas mensagens, tentando converter a população árabe ao Islamismo. Acaba tendo que sair de Meca, pois os coraixitas ficaram preocupados de que as pregações monoteístas de Maomé fossem prejudica-los comercialmente. Recebeu abrigo em Medina em 622, ano conhecido pelo início do calendário muçulmano e denominado Hégira. Lá, o islã cresceu rapidamente e Maomé defendeu a Jihad, o esforço para a conversão dos infiéis ao islã. Suas revelações foram reunidas no Alcorão ou Corão, livro sagrado dos muçulmanos.

Os árabes e a cultura ocidental

Diversos vestígios e influencias foram transferidos para a cultura ocidental, desde arquitetura até a alimentação. Alguns vocábulos, tecnologias como a pólvora, papel, bussola e astrolábio, foram provenientes dos povos muçulmanos. Na matemática e na química, foram introduzidos os conhecimentos de alquimia e os algarismos arábicos, além do uso do 0 (zero).

O Império Muçulmano

Depois de violentas lutas após a morte de Maomé, Abu-Bakr se proclama califa – sucessor – e governa em nome de Maomé em 632. Ele era um chefe político e religioso que tinha como missão preparar os árabes para a conquista da Terra. Desse ano até 661, acontece o grande período de conquista e estabelecimento do domínio árabe. Durante seu governo de onze anos, deu-se inicio à expansão muçulmana. Os guerreiros do Islã atacaram a Pérsia e o Império Bizantino, ambos já debilitados devido a algumas lutas internas. Graças aos progressos atingidos pelos muçulmanos, em pouco tempo conseguiram dominar territórios e controlar o comércio do Mediterrâneo. Após dez anos de luta, a Pérsia rendeu-se e o império Bizantino perdeu a Síria para os Árabes. Alexandria, no Egito, resistiu ao cerco árabe durante dois anos, e depois foi incendiada junto à sua famosa biblioteca. Uma nova capital foi construída pelos Muçulmanos no Cairo. Califa Ali continuou dominando territórios após a morte do califa Omar, mas em pouco tempo surgiram as disputas internas por poder, ocasionando uma guerra civil. Neste momento, o governo do Império Muçulmano dividiu-se em duas dinastias: a dinastia dos Omeíadas, fundada pelo califa Muhawiya, e a dinastia dos Abássidas, fundada pelos descendentes de Abas que era tio de Maomé.


Reportar erro