Narração, descrição e dissertação

Narração, descrição e dissertação são três tipos de texto bastante utilizados. Conheça a diferença entre eles e ainda dicas de como construí-los.


O processo de escrita se divide em diversos tipos de textos. No entanto, existem três que são os mais utilizados enquanto meio escolar ou no vestibular. São eles os narrativos, descritivos e dissertativos.

Narração

Como o próprio nome já diz, a narração narra, ou seja, conta um fato ou uma história. Por formar um enredo, um conjunto de ações e acontecimentos que desatinarão em um fim, a maioria dos verbos usados será de ação. Elementos básicos que devem conter em uma narração são:

  • Fato – Qual propulsor deu início à história? Sobre o quê ela aborda?
  • Quem? – Personagem principal e personagens secundários.
  • Quando? – Em que período se deu os acontecimentos?
  • Onde? – Qual a localidade se passa o enredo? Numa cidade? Em uma floresta?
  • Como? – O que motivou o fato? Como os personagens agiram?
Narração, descrição e dissertação

Foto: Pixabay

Veja o exemplo a seguir, abrangendo todos os elementos.

“Maria costumava sair todos os dias para encontrar com seus amigos no parque da cidade onde morava. Certa manhã, num dia frio de inverno, ela resolveu mudar a rota e ir por um novo caminho. Enquanto se deliciava com a visão de novas ruas e casas, ela foi surpreendida ao esbarrar em um garoto que, para Maria, era o mais lindo do universo. Eles riram e começaram a conversar.”

  • Fato – Maria conheceu um garoto muito lindo.
  • Quem – Maria, personagem principal. / Amigos e garoto (que teria o nome revelado mais a frente, caso a história continuasse) – personagens secundários.
  • Quando – Numa manhã fria de inverno. Nesse caso, não precisou de data específica, pois a estação e o período do dia situaram o leitor.
  • Onde? – Antes, no parque da cidade. Agora, em uma rua nova que Maria nunca tinha passado.
  • Como – A história vai continuar a partir do esbarrão de Maria nesse garoto, e da risada e conversas.

Os agentes de texto narrativos serão os verbos de ação, advérbios de lugar, advérbios de tempo e substantivos que nomeiam as pessoas. Eles vão costurar a rede de acontecimentos que é a própria narração.

Descrição

Imagine uma paisagem. Agora, tire uma fotografia mental dela. Imprimir a imagem dessa fotografia num papel é basicamente escrever um texto descritivo. É o tipo textual com mais adjetivos que existe. Os verbos mais comuns são os de ligação, como parecer, ser, permanecer, ficar, estar, ter etc.

Veja o exemplo de um texto descritivo.

“Da velha janela do quarto de hóspedes dava para ver o pôr do sol vermelho-sangue que se formava no horizonte. Via-se, também, o antigo carvalho que permanecia isolado bem nos fundos da casa da minha rica tia Annie. Eu adorava esse lugar quando criança. Mas hoje, não sei se é o cheiro de mofo e de coisas passadas, ou a eterna solidão do silêncio dos corredores que me assusta.”

Note que os adjetivos usados e verbos de ligação fazem com que o leitor se sinta quase vendo o lugar, dentro da história. Lembre-se: toda descrição é uma narração, mas nem toda narração é descrição.

Dissertação

A dissertação é um conjunto de reflexões, debates, discussões e questionamentos acerca determinado tema. É o tipo de discurso mais solicitado em vestibulares. Portanto, dissertar é expor fatos e opiniões de forma coerente e concisa, fundamentados em argumentos válidos e convincentes. A argumentação é o fator principal para uma boa dissertação.

Nesse texto, você deve levar o leitor em uma sequência lógica dos seus pensamentos, de modo que ele aceite sua posição. Mas é impessoal. A menos que se peça o contrário, todas as dissertações devem transpor impessoalidade, utilizando assim, verbos e pronomes na terceira pessoa. Seja objetivo e não fique enrolando com subjetividades também. A melhor forma de se fazer uma dissertação é a seguinte:

  • Elabore uma pergunta a partir do tema dado. Por exemplo, se o tema for “Jihad – a luta pela disseminação da religião”, você pode transformar em pergunta principal (O que é o jihad?) e perguntas secundárias (Como ocorre? De onde surgiu? Seria o jihadismo um tipo de “Guerra Santa”?).
  • Responda as perguntas. Por isso, é necessário o conhecimento de campo. A maioria das dissertações em vestibulares vem com os textos de apoio, ou imagens. Tente calcar seu ponto de vista a partir desses saberes.
  • Coloque o porquê das suas respostas. É aqui que você argumenta, propõe suas ideologias e opiniões a respeito.

Por fim, lembre-se que esse tipo de texto pede se siga a uma estrutura coerente que abrange introdução, desenvolvimento e conclusão.


Reportar erro