Narrador-personagem

O narrador-personagem conta a história em primeira pessoa e também faz parte dela, como um personagem. Conheça as características deste tipo de narrador.


As histórias que lemos, ouvimos ou escrevemos são contadas por meio de diferentes elementos, estratégias e plataformas, sendo que a figura do narrador está sempre presente. O narrador conta um ou mais fatos, sejam eles reais ou imaginários, por meio da escrita ou oralmente, ocorrido com determinadas personagens, em local e tempo definidos.

É possível contar uma história que ocorreu com outras pessoas ou consigo mesmo. Assim sendo, a figura do narrador pode ser em primeira ou terceira pessoa. O narrador em primeira pessoa se divide em narrador-personagem, narrador protagonista e narrador como testemunha; enquanto que o narrador em terceira pessoa engloba o narrador onisciente e narrador observador.

Narrador-personagem

Imagem: Reprodução/ internet

Neste artigo, saiba mais sobre o narrador-personagem.

Características do narrador-personagem

O contador da história possui funções e restrições precisas, sendo que nunca poderá transmitir aquilo que não é de seu conhecimento. Desta maneira, o narrador somente poderá contar aquilo que está diante de seu ponto de vista.

Neste contexto, considera-se que o narrador-personagem, tipo de narrador abordado neste artigo, é o que está mais próximo do universo que está sendo transcrito. Isto ocorre porque, além de contar a história em primeira pessoa, ele faz parte dela, sendo por este motivo chamado de personagem.

O narrador-personagem é marcado por características subjetivas, de opiniões em relação aos fatos ocorridos e com uma grande carga emocional, com qualidades particulares e sentimentos intensos. Este tipo de narrador possui uma relação íntima com os outros elementos da narrativa, e a proximidade com o universo narrado revela fatos e situações que seriam desconhecidos a um narrador de fora. Ao mesmo tempo, essa proximidade com o mundo narrado também faz com que a narrativa seja parcial, já que não é possível enxergar nenhum outro ângulo de visão.

Narrativa em primeira pessoa

Por contar a história em primeira pessoa e também vivendo a ação, este tipo de narrador não conhece os sentimentos e pensamentos dos outros personagens que o cercam. Por ter uma visão limitada dos fatos, pode causar um clima de suspense na narrativa.

O narrador-personagem está ciente de tudo sobre si mesmo, porém não tem o total conhecimento do mundo externo em que a história se desenvolve. Ele pode narrar uma história em que é o protagonista, como na obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, ou ser um personagem coadjuvante, como o Dr. Watson narrando as aventuras de Sherlock Holmes.

O recurso da primeira pessoa é normalmente utilizado quando se deseja revelar ao leitor o que está ocorrendo na mente do narrador, já que permite a análise de vários ângulos dessa figura por meio de sua maneira de narrar os fatos.

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Reportar erro