Versos, rimas e estrofes

Um poema é constituído de versos e estrofes, sendo que os seus versos podem apresentar ou não rima. Saiba mais sobre a estrutura do poema


Poiésis, para os gregos, era o “ato de criar algo”. Assim, a poesia pertence à ficção, pois caracteriza-se por ser um processo criativo, algo inventado e que privilegia o prazer estético da leitura. Não raro, as palavras “poesia” e “poema” são empregadas como sinônimas, no entanto, poesia refere-se ao aspecto imaterial do texto e o poema é um gênero textual com características de estrutura próprias.

Um poema é constituído de versos e estrofes, sendo que os seus versos podem apresentar ou não rima.

Versos, rimas e estrofes

Foto: Reprodução/ internet

Versos

O verso é a unidade poética, é considerado cada linha de um poema. Os versos podem ser apresentados como uma palavra ou segmento de palavras com um tipo de rítmica. Pode ocorrer em sílabas longas ou breves (versos métricos), segundo o número de sílabas (verbos silábicos) e de acordo com a acentuação (versos rítmicos).

O soneto, que é uma forma fixa, apresenta sempre quatorze versos.

Soneto (Luiz Vaz de Camões)

Mudam-se o tempo, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Estrofes

A estrofe é o conjunto de versos. Um soneto é constituído de dois quartetos (estrofe com quatro versos) e dois tercetos (estrofes com três versos).

Mudam-se o tempo, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Rimas

Os versos de uma poesia podem ter rima, que é o resultado de sons iguais ou semelhantes entre as palavras, seja no final ou no meio dos versos (rima interna).

Quanto à posição na estrofe, as rimas podem ser:

a) Cruzadas ou alternadas (ABAB)

“Cheguei, chegaste. Vinhas fatigada A
E triste, e triste e fatigado eu vinha; B
Tinhas a alma de sonhos povoada A
E a alma de sonhos povoada eu tinha.” B (Olavo Bilac)

b) Interpolada (ABBA)

“Para canto de amor tenros cuidados. A
Tomo entre voz, ó montes, o instrumento; B
Ouvi pois o meu fúnebre lamento; B
Se é que compaixão dos animados.” (Cláudio Manuel da Costa)

c) Emparelhada (AABB)

“O universo não é uma idéia minha. A
A minha idéia do Universo é que é uma idéia minha. A
A noite não anoitece pelos meus olhos. B
A minha idéia da noite é que anoitece por meus olhos”. B (Fernando Pessoa)

d) Internas: Ocorre quando rimam palavras que estão no fim do verso e no interior do verso seguinte.

“Salve Bandeira do Brasil querida
Toda tecida de esperança e luz
Pálio sagrado sobre o qual palpita
A alma bendita do país da Cruz.”

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Reportar erro