,

Braille: Saiba mais sobre esse tipo de linguagem, seu significado e origem

O Código Braille foi criado pelo francês Louis Braille, que ficou cego aos três anos de idade

O sistema Braille, também denominado Código Braille, é um processo de leitura e escrita para pessoas cegas, baseado em 64 símbolos em relevo, resultantes da combinação de seis pontos, dispostos em duas colunas de três pontos cada. São representadas letras, algarismos e sinais de pontuação.

Surgiu na França em 1825 e a sua criação é creditada a Louis Braille, que ficou cego aos três anos de idade.

O sistema Braille é utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão, e a leitura é feita da esquerda para a direita. Pode-se utilizar uma ou as duas mãos ao mesmo tempo.

História

O Código Braille foi criado pelo francês Louis Braille, que ficou cego aos três anos, vítima de um acidente na oficina do pai. Após ter o olho perfurado por uma ferramenta, o órgão foi atingido por uma grave infecção que resultou em cegueira. Aos 16, Louis Braille (1809 – 1852) criou o sistema Braille.

Braille: Significado e aspectos gerais

Foto: depositphotos

O sistema ficou conhecido no Brasil em 1854, data da inauguração do Instituto Benjamin Constant, no Rio de Janeiro, fundado por D. Pedro II. O Imperial Instituto dos Meninos Cegos tinha como missão a educação e profissionalização das pessoas com deficiência visual.

O sistema Braille

Cada célula Braille possui seis pontos de preenchimento e as suas diferentes disposições permitem a formação de 63 combinações ou símbolos Braille que servem para representar caracteres de anotações científicas, literatura, estenografia, música, matemática e informática.

Cada ponto da célula é identificado por um número que varia de 1 a 6, iniciando no primeiro ponto superior à esquerda, e finalizando no último ponto inferior à direita.

A leitura do código Braille é feita da esquerda para a direita, ao toque de uma ou duas mãos ao mesmo tempo. O alfabeto Braille caracteriza-se pela apresentação gráfica de 64 símbolos do sistema, distribuídos em sete linhas ou séries. Ler em Braille é mais simples do que escrever. A escrita requer um pouco mais técnica e, para isso, são utilizados dois instrumentos: reglete (placa de metal com orifícios em uma de suas faces) e punção (um instrumento semelhante a uma agulha).

Diversos idiomas fazem uso de uma forma abreviada do código Braille, na qual certas células são utilizadas no lugar de combinações de letras ou de palavras muito usadas.

A difusão do Braille

No Brasil, é possível encontrar alguns institutos – como o Benjamin Constant e Dorina Nowill – que oferecem programas de capacitação no sistema. Atualmente, existem computadores capazes de traduzir do Braille e até reconhecer voz e transformá-la no código. É possível encontrar vários recursos que facilitam o acesso das pessoas à informática, além de outros equipamentos, tais como relógios.

 

Sobre o autor

Avatar
Formada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas) pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), com certificado DELE (Diploma de Español como Lengua Extranjera), outorgado pelo Instituto Cervantes. Produz conteúdo web, abrangendo diversos temas, e realiza trabalhos de tradução e versão em Português-Espanhol.