Significado da bandeira da Suécia

Nesse artigo você vai conhecer o significado da bandeira da Suécia. Em qual contexto político ela foi criada e quais as inspirações culturais e sociais foram adotadas na composição de suas cores e símbolos. Tire essas dúvidas e conheça um pouco mais sobre esse país a seguir!

Existem várias formas de representar uma nação, seja em eventos oficiais ou espaços públicos. Algumas destas formas envolvem a criação de símbolos padronizados e oficializados, como é o caso das cores, dos elementos naturais ou culturais, dos hinos ou manifestações artísticas que envolvem aquele que está sendo representado.

Dos elementos de destaque que formam a identidade de uma nação estão a bandeira, o hino nacional, o brasão de armas, dentre outros. A bandeira é especialmente importante, isso porque são elementos que aparecem com evidência quando há alguma ocasião formal.

Através das bandeiras, pode-se conhecer aspectos de destaque do representado, como os acontecimentos relevantes de seu passado, bem como as formas pelas quais a cultura é manifesta, além de aparecerem com frequência também os aspectos naturais que auxiliam no desenvolvimento do local, como a presença do ouro, de matas exuberantes, dos límpidos céus, dentre outros.

A bandeira da Suécia

O significado da bandeira da Suécia remete a religião e a geografia do lugar

Assim como todos os países nórdicos, a Suécia também adotou a cruz nórdica na sua bandeira (Foto: depositphotos)

A bandeira da Suécia é relativamente simples em sua composição, com apenas duas cores sendo expostas. A bandeira possui um formato retangular, com proporção de 5 por 8, cujas cores utilizadas são o azul que recobre todo fundo da bandeira, e o amarelo apresentado na cruz nórdica.

A cruz apresentada na bandeira se estende até as quatro bordas da mesma, sem contornos ou demais elementos gráficos. Todos os países nórdicos adotam a cruz nórdica como um símbolo oficial, sendo que estes países tiveram origem na Escandinávia, que é uma região geográfica e histórica da Europa Setentrional, ou do Norte.

Embora o modelo da bandeira da Suécia tenha sido pensado há centenas de anos, apenas em 22 de junho de 1906 ela foi oficialmente adotada.

A cruz nórdica

A cruz nórdica é uma referência ao Cristianismo, muito embora seja apresentada não de forma centralizada, como a cruz grega, mas mais localizada na porção esquerda da bandeira.

Veja também: Povos bárbaros

Os países nórdicos possuem um passado comum, o que envolve também as mitologias que se referem a esta região, também conhecidas como mitologia germânica, a qual forma um conjunto de lendas pré-cristãs dos povos escandinavos, muitas das quais conhecidas até os dias atuais.

Como é de se esperar, e que fica nítido na bandeira da Suécia, é a predominância da religião Cristã em seu território, o que se manifesta através da cruz nórdica.

O território da Suécia foi, por muito tempo, pagão, pelo menos até o século XI. Com as campanhas pela disseminação do Cristianismo, estima-se que até por volta do ano 1000, já havia um número considerável de cristãos neste território. Com a Reforma Protestante, no século XVI, liderada por Martinho Lutero, a Suécia tendeu ao luteranismo.

Embora a Suécia seja conhecida como um dos países menos religiosos do mundo, com maior número de pessoas que se designam como ateus (estima-se que dos 8,9 milhões de habitantes da Suécia, 7,6 milhões sejam ateus), ainda assim há uma expressividade em relação ao Cristianismo dentre aqueles que se designam como religiosos.

Cores

Quanto as cores da bandeira, existem algumas interpretações possíveis, mas a mais comum é que estas tenham sido inspiradas em um antigo Brasão de Armas da Suécia, de 1442, o qual apresentava estas cores entre seus simbolismos.

Dentre as demais bandeiras nórdicas, predominam as cores vermelha, branca e azul, o que torna a bandeira da Suécia um pouco diferente das outras, embora a cruz nórdica, ou escandinava, esteja em todas presente.

Há registros das cores azul e amarela ligadas à Suécia desde pelos menos os anos de 1275 pelo Rei Magnus Birgersson, Magno III, também conhecido como “Magno, o Tesoureiro”, que governou a Suécia dos anos de 1275 até sua morte em 1290.

Brasão de armas

A Suécia possui ainda outros símbolos oficiais, como é o caso dos Brasões de Armas do Reino da Suécia, os quais são utilizados em conformidade com os fins para os quais foram designados. Alguns países possuem apenas um brasão, mas a Suécia possui outras versões usadas pelo monarca e seu governo.

Veja também: Povos Vikings – História desta civilização

Hino nacional

Além disso, a Suécia possui ainda um hino nacional que o representa em eventos oficiais, o qual pode ser ouvido através desse link.

A Suécia

A Suécia é considerada como o melhor país para se envelhecer

Vista panorâmica de Estocolmo, capital da Suécia (Foto: depositphotos)

A Suécia é um país localizado no continente europeu, mais especificamente em sua parte Norte, ou Europa Setentrional. As fronteiras do país são com a Noruega na porção Oeste, com a Finlândia na porção Nordeste, bem como pela Dinamarca através de uma ponte, por sobre o Estreito de Oresund, na porção Sul.

A Suécia é um dos países nórdicos, juntamente com a Dinamarca, a Finlândia, a Islândia e a Noruega. A Suécia é um país considerado como desenvolvido, fazendo parte da União Europeia, constituindo o terceiro maior país da União Europeia em termos de área total.

Território

O tamanho do território da Suécia é de cerca de 447.435 km² de extensão, onde predominam planaltos e planícies, com uma expressiva área montanhosa na porção Oeste do território.

Veja também: Fiordes

Economia

A Suécia é rica em recursos minerais, o que auxilia ainda mais no desenvolvimento econômico desta, com destaque ao cobre, ao minério de ferro, chumbo, ouro, prata, tungstênio, arsênico e ainda o urânio.

Os destaques na economia da Suécia são os serviços e as indústrias, especialmente voltadas para exportação.

A indústria é altamente tecnológica, com destaque para os automóveis, os sistemas de telecomunicações, bem como os produtos farmacêuticos, as máquinas sofisticadas, ainda os equipamentos de precisão, os produtos químicos, produtos florestais, e artigos de aço e ferro.

População e  desenvolvimento

Em relação a sua população, a Suécia contava com um contingente de mais de 9,903 milhões de pessoas no ano de 2016. Por conta do desenvolvimento social do país, a Suécia é considerada como o melhor país para se envelhecer.

Além disso, o sistema educacional do país é considerado como um dos melhores do mundo, com uma estrutura moderna e que serve de exemplo para implementação de políticas em outras partes do mundo.

As políticas de bem-estar social da Suécia são uma das mais estruturas dentre os países, onde o Estado se coloca como agente da promoção social, bem como de organizador da economia.

 

Referências

» OS PAÍSES mais e menos religiosos do planeta. BBC Brasil. Disponível em: . Acesso em 16 de maio de 2018.

» SUÉCIA. União Europeia. Disponível em: . Acesso em 16 de maio de 2018.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).