Aposto

O aposto, estudado na gramática portuguesa, é usado para explicar ou detalhar o termo anterior. Entenda o que é e aprenda como distinguir os tipos.


A gramática normativa da língua portuguesa nos apresenta diversos conceitos que podem nos confundir. Um deles é o aposto, tema deste artigo. De acordo com o gramático Domingos Paschoal Cegalla, o aposto é uma palavra ou expressão que explica ou esclarece, desenvolve ou resume outro termo da oração.

O que é aposto?

Aposto é uma palavra ou expressão que explica, enumera, detalha, resume, esclarece, especifica, distribui ou compara um termo anterior da oração. Normalmente, é colocado entre vírgulas, mas também pode ser assinalado por travessão ou dois-pontos.

Confira os exemplos a seguir, retirados da “Novíssima Gramática da Língua Portuguesa”, de Cegalla:

Aposto

Foto: depositphotos

  1. Pedro II, imperador do Brasil, foi um monarca sábio.

Prezamos acima de tudo duas coisas: a vida e a liberdade.

“O pastor, o guarda, o médico, todos olham e não dizem nada. (Ricardo Ramos)

Tipos de aposto

O aposto pode aparecer antes ou depois do termo ao qual se refere e fornece novas informações. Pode ser classificado em:

Aposto explicativo

É usado para explicar ou esclarecer um termo da oração anterior. O aposto explicativo sempre vem isolado na frase, podendo aparecer entre sinais de pontuação como vírgulas, parênteses ou travessões.

Exemplos:

-Priscila, estudante muito dedicada, conseguiu notas altas nas provas.
-João, meu amigo de infância, ganhou uma viagem da tia.
-Rafaela, a vizinha do terceiro andar, começou a vender lindos artesanatos.

Aposto especificativo

Serve para especificar ou individualizar um termo de sentido genérico. Geralmente é um nome próprio (pessoa ou lugar) e não aparece entre vírgulas.

Exemplos:

-Visitei a cidade de São Paulo.
-A rua Joaquim Silva é a próxima à direita.
-Gosto da escritora Virginia Woolf.

Aposto enumerativo

Enumera os elementos constituintes de um termo da oração.

Exemplos:

-Carla já viajou por vários países: Argentina, Brasil, Chile, Espanha, México e Peru.
-Comprei tudo que estava na lista de compras: arroz, tomate, abobrinha e requeijão.

Aposto resumidor

Serve para resumir os termos anteriores em apenas uma palavra. Geralmente é expresso por um pronome indefinido.

Exemplos:

-Nem distância, nem tempo, nem discussões, nada separa aquela dupla de amigos.
-Comprei cadernos, lápis, agenda e canetas, tudo em promoção.

Aposto comparativo

Compara um termo da oração com alguma coisa e aparece isolado por vírgulas.

Exemplo: 

-Seus olhos, jabuticabas brilhantes, fitavam a janela.

Aposto distributivo

Distribui as informações dos termos da oração separadamente.

Exemplos:

-Ambas são excelentes alunas, uma na Química e a outra na Literatura.
-Bruna e Daniel vivem no mesmo estado; este na cidade de Uberlândia, aquela, na cidade de Poços de Caldas.

Aposto de oração (oracional)

O aposto oracional resume os termos anteriores.

Exemplos:

-Pietro pulou muito, sinal de alegria.
-Lívia disse que não quer mais estudar, fato que me deixou preocupada.

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Informar erro