Complemento nominal

O complemento nominal é o termo usado para completar o sentido de um nome que não seja um verbo, ele pode ser um substantivo,…


O complemento nominal é o termo usado para completar o sentido de um nome que não seja um verbo, ele pode ser um substantivo, adjetivo ou advérbio, com o auxílio de uma preposição. Para ser caracterizado como um complemento nominal, o termo preposicionado, geralmente, está ligado a um substantivo abstrato que seja o receptor, ou seja, o alvo da ação.

Complemento nominal

Foto: Reprodução

Como encontrar o complemento nominal?

Para encontrar ou reconhecer um complemento nominal, é preciso perguntar ao nome “de quê?”, “de quem?”, “a quê?”. “a quem?”, “por quê?”, por quem?”.

Veja os exemplos a seguir:

1. As pessoas têm necessidade de interagir com as outras.

As pessoas = sujeito
Têm = verbo transitivo direto
Necessidade = objeto direto
De interagir com as outras = complemento nominal

Observe que para descobrir qual é o sujeito da oração basta perguntar ao verbo “quem?”: “Quem tem a necessidade?” As pessoas.

Para saber quem é o objeto direto, perguntamos ao verbo: “o quê?”: “Têm o quê?” Necessidade. E para encontrar o complemento nominal, basta perguntar ao objeto direto “de quê?”: “As pessoas têm necessidade de quê?”. De interagir com as outras.

2. Camila tem orgulho da mãe.

Camila = sujeito
Tem = verbo transitivo direto
Orgulho = objeto direto
Da mãe = complemento nominal

Mais exemplos

Geralmente, o complemento nominal completa o sentido de substantivo deverbal, ou seja, originário de verbo.

Confira mais alguns exemplos a seguir:

  1. Os alunos fizeram a leitura do texto.

(substantivo deverbal (ler) = o texto foi lido – sentido passivo = CN)

2. A secretária não autorizou a colocação dos armários.

(substantivo deverbal (colocar) = os armários foram colocados – sentido passivo = CN)

3. No meu colégio cuidamos para que haja o respeito pelos professores.

(substantivo deverbal (respeitar) = os professores são respeitados – sentido passivo = CN)

Diferenciando um complemento nominal de um adjunto adnominal

Para que se possa distinguir um complemento nominal de um adjunto adnominal devemos levar pelo menos dois pontos básicos em consideração. Veja quais são:

1. Apenas o complemento nominal pode ser ligado a adjetivos ou advérbios.

Exemplos:

Ele é perito (adjetivo) em Língua Portuguesa. (Complemento nominal)

Ele mora perto (advérbio) da faculdade. (Complemento nominal)

2. Apenas o adjunto adnominal pode ser ligado a substantivos concretos.

Exemplos:

Eu recebi o livro (substantivo concreto) de língua inglesa. (Adjunto adnominal)

Há muitas pessoas (substantivo concreto) sem compromisso. (Ajunto adnominal)

Quando houver dúvidas, lembre-se que, se houver valor passivo com o termo “de+nome”, será complemento nominal; se for ativo, será adjunto adnominal.

 

Exemplos:

 

Tenho medo de fantasmas. (= fantasmas são temidos = complemento nominal)
Tenho saudades de Joana. (= Joana é saudada = lembrada = complemento nominal)

 

*Revisado por Débora Silva, graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas). 


Reportar erro