Conjunções

Conjunção é uma palavra invariável que tem por finalidade ligar orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração


No estudo da Gramática Normativa da Língua Portuguesa, nós nos deparamos com vários conceitos, incluindo as classes gramaticais que possuem as suas próprias características, como os substantivos, numerais, pronomes, artigos, verbos, advérbios, preposições, interjeições e outros.

As conjunções, tema deste artigo, são uma classe de palavras invariáveis que ligam duas orações ou os termos semelhantes de uma mesma oração, conferindo-lhe precisão e clareza.

Definição de conjunção

Conjunção é uma palavra invariável que tem por finalidade ligar orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração, estabelecendo uma relação de dependência ou de simples coordenação.

Alguns exemplos de conjunções são: logo, portanto, pois, como, mas, e, embora, porque, entretanto, nem, quando, ora, que, porém, todavia, quer, contudo, seja, conforme etc.

O estudo das conjunções é dividido de acordo com a sua classificação formal: elas podem ser coordenativas ou subordinativas.

Ilustração sobre conjunções

Foto: Depositphotos

Conjunções coordenativas

As conjunções coordenativas conectam elementos sintaticamente equivalentes. Dividem-se em:

Aditivas: Relação de ligação, de soma entre duas orações.

Exemplos: João é ator e cantor.

Fernanda jogou vôlei e correu no parque.

Principais conjunções aditivas: e, nem, mas também, bem como

Adversativas: Conectam duas orações ou palavras, expressando ideias contrárias, de oposição.

Exemplos: Manuela correu muito, porém não alcançou o ônibus.

Rafael estuda muito, mas tira notas baixas.

Principais conjunções adversativas: porém, mas, contudo, todavia, no entanto

Alternativas: Conectam orações ou palavras, expressando ideia de alternância.

Exemplos: Ora ele canta, ora ele dança.

Ou você abaixa o volume da TV ou eu desligo o aparelho.

Principais conjunções alternativas: ou…ou, ora…ora, quer…quer

Explicativas: Conectam a oração anterior a uma oração que a explica, dando um motivo ou razão.

Exemplos: É melhor levar uma blusa de frio porque a temperatura está caindo.

Feche a porta, que está fazendo muito barulho.

Principais conjunções explicativas: porque, que, pois, já que, visto que

Conclusivas: Conectam a oração anterior a uma oração que expressa ideia de conclusão.

Exemplos: Estudou muito, logo foi bem na prova.

Eu treinei muito para o exame de direção, portanto não fiquei nervosa.

Principais conjunções conclusivas: portanto, logo, por isso, assim, consequentemente

Conjunções subordinativas

As conjunções subordinativas conectam orações sintaticamente dependentes. Dividem-se em:

Causais: Estabelecem uma relação de causa e consequência.

Exemplos: Não fui ao shopping porque tinha de lavar o carro.

Como a chuva era forte, decidimos permanecer na minha casa.

Principais conjunções causais: porque, visto que, uma vez que

Comparativas: Iniciam uma oração que apresenta uma comparação.

Exemplos: Era mais azul do que é agora.

“Dançou e gargalhou como se ouvisse música” (Construção – Chico Buarque)

Principais conjunções comparativas: como se, que, do que, tão…como, mais… do que

Concessivas: Indicam uma concessão, contradição.

Exemplos: Embora estivesse cansada, Mariana foi correr no parque.

“Apesar de você amanhã há de ser outro dia” (Apesar de Você – Chico Buarque)

Principais conjunções concessivas: apesar de, embora, ainda que

Proporcionais: Expressam a ideia de proporção.

Exemplos: À medida que o dia passava, mais cansada Carla se sentia.

Quanto mais agir assim, mais afastará quem te quer bem.

Principais conjunções proporcionais: à medida que, quanto mais, quanto menos, ao passo que

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).


Reportar erro