Fonologia

A Fonologia (proveniente do grego phonos = voz/som; logos = palavra/estudo) é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma.…


A Fonologia (proveniente do grego phonos = voz/som; logos = palavra/estudo) é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. É a área de estudo que se preocupa com a maneira pela qual os sons da fala (os fones) se organizam dentro de uma língua, classificando-os em unidades capazes de distinguir significados: os denominados fonemas. A Fonologia também estuda outros assuntos, como a estrutura silábica, o acento e a entonação.

Fonologia

Foto: Reprodução

Fonema

Fonema é o menor elemento sonoro capaz de estabelecer uma diferença de significado entre as palavras. Cada segmento sonoro se refere a imagem acústica que nós, falantes de português, guardamos de cada um deles. O fonema é constituído por essa imagem acústica. Os fonemas compõem os significantes dos signos linguísticos (que são formados pelo significado e o significante) e aparecem, geralmente, representados entre barras.

Confira os exemplos a seguir para verificar os fonemas que marcam a distinção entre as palavras:

Vaca / Faca

Amor / Ator

Dente / Lente

A classificação dos fonemas

Os fonemas da Língua Portuguesa são classificados em vogais, semivogais e consoantes.

  • Vogais – São os fonemas sonoros produzidos por uma corrente de ar que passa livremente pela boca, desempenhando o papel de núcleo das sílabas. As vogais podem ser classificadas de acordo com a posição da boca (boca aberta ou entreaberta), quanto ao timbre e quanto à zona de articulação.

Com relação à posição da boca, as vogais podem ser orais (o ar sai apenas pela boca), nasais (o ar sai pela boca e pelas fossas nasais), átonas (pronunciadas com menor intensidade) e tônicas (pronunciadas com maior intensidade); quanto ao timbre, elas podem ser abertas (), fechadas (amor) ou reduzidas (quase sempre aparecem no final das palavras); já com relação à zona de articulação, as vogais podem ser anteriores ou palatais (a língua eleva-se em direção ao céu da boca – palato duro).

  • Semivogais – Algumas vezes, os fonemas /u/  e /i/ não constituem vogais, eles aparecem apoiados em uma vogal, formando uma sílaba. Neste caso, esses fonemas são denominados semivogais. As semivogais, diferentemente das vogais, não desempenham o papel de núcleo silábico.
  • Consoantes – Na produção das consoantes, a corrente de ar encontra obstáculos ao passar pela boca, resultando em “ruídos” que não atuam como núcleos silábicos. No português, elas sempre consoam (“soam com”) as vogais.

Fonemas e letras

Os fonemas são representados através de sinais denominados “letras”, ou seja, a letra é a representação gráfica do fonema. Pode acontecer de um mesmo fonema ser representado por mais de uma letra do alfabeto, como no caso do fonema /z/, que pode ser representado pelas letras z,s, x.

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Reportar erro