Fossas tectônicas

As conhecidas fossas tectônicas, nada mais são do que depressões do terreno provocadas por movimentações combinadas das placas tectônicas, mantendo a área central abatida…


As conhecidas fossas tectônicas, nada mais são do que depressões do terreno provocadas por movimentações combinadas das placas tectônicas, mantendo a área central abatida e as margens elevadas. Também conhecidas como depressões tectônicas, as fossas tectônicas podem ter grandes dimensões, e apresentam lateralmente falhas sucessivas ou fraturas escalonadas. As regiões ao redor dessas fossas são elevadas, com alturas e profundidades distintas. Sua formação é uma evidência do dinamismo do relevo terrestre. Além disso, é uma prova de que as ações do tectonismo afetam diretamente na superfície terrestre, assim como na formação e desenvolvimento da vivência na Terra.

Fossas tectônicas

Foto: Reprodução

Características

Suas dimensões variam de algumas dezenas de metros até centenas de quilômetros de comprimento, como por exemplo o vale do Reno, e o sistema de fossas localizado na África oriental conhecido como Grande Fossa Africana. O fundo dos vales é recoberto por estratos de sedimentos que são mais finos nas regiões interiores e mais grossos nas bordas.

Fossas marítimas

Algumas fossas –localizadas nas bordas dos oceanos e nas cercanias de litorais continentais com cordilheiras de formações recentes- recebem o nome de fossas submarinas, que são profundas depressões das zonas abissais. Atualmente acredita-se que estas fossas formam-se com o afundamento das bordas das placas oceânicas no manto, e normalmente estão diretamente ligadas às atividades sísmicas e vulcânicas. Como exemplo das fossas submarinas, podemos citar a fossa de Atacama, das Marianas e das Filipinas.

Fossas tectônicas no Brasil

Analisando do ponto de vista econômico – pois em suas falhas acumulou-se petróleo-, a fossa mais importante do Brasil é a do Recôncavo Baiano. Além desta, existe uma de grandes proporções que se estende de norte a sul na ilha de Marajó. Nesta, ocorrem cerca de quatro mil metros de sedimentos continentais e marinhos, estando no fundo as do período cretáceo e na parte superior, da era cenozoica.

Encontramos ainda a fossa de Caravelas, de Campos dos Goitacases, da costa sudoeste de São Paulo e de Pelotas. No interior, encontra-se a do vale do rio Paraíba, que está delimitada pela serra da Mantiqueira e pela serra do Mar, localizada entre Jacareí e Cachoeira Paulista, que está preenchida por sedimentos pleistocênicos ricos em fósseis de peixes, anfíbios e répteis.


Reportar erro