Mortalidade infantil

O termo mortalidade infantil refere-se à morte de crianças em seu primeiro ano de vida, e isso é usado como base para calcular a…


O termo mortalidade infantil refere-se à morte de crianças em seu primeiro ano de vida, e isso é usado como base para calcular a taxa de mortalidade infantil. A taxa é baseada em um período de um ano, e refere-se ao número crianças com idade inferior a um ano falecidas, a cada mil nascidos vivos. Existem problemas no cálculo em países em desenvolvimento, como a falta dos registros confiáveis para medição dessa taxa, uma vez que, em diversos casos, as crianças sequer são registradas em cartórios, principalmente em regiões rurais. Devido a fatores como esse, o indicador tem sido estimado ou até mesmo corrigido com técnicas indiretas. A estimativa poderia ser feita adicionalmente por meio de estatísticas do Registro Civil ou por Declaração de Nascimentos do Ministério da saúde, mas ainda assim são enfrentados problemas de falta de registro.

Mortalidade infantil

Foto: Reprodução

Os fatores que influenciam

Apesar de ser um problema social de escala global, a mortalidade infantil afeta com maior intensidade as regiões mais pobres. Isso acontece devido à falta de assistência médica, falta de orientação às mulheres gestantes, além da deficiência na assistência hospitalar aos recém-nascidos, ausência de saneamento básico e desnutrição.

Encontramos as menores taxas em países desenvolvidos como Japão, Suécia e Noruega, onde a média é de três mortes a cada mil nascidos. Já nos países pobres, encontramos as piores taxas, como por exemplo o Afeganistão, que apresenta uma média de 154 óbitos a cada mil nascidos vivos.

A taxa de mortalidade infantil no Brasil

Quando falamos no Brasil, podemos afirmar que a taxa tem sido reduzida a cada ano que passa, sempre em declínio (de acordo com dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Do ano de 1998 a 2010, a redução foi de 33,5 crianças mortas a cada mil nascidas vivas para 22.

Conforme demonstrado na tabela abaixo, o Nordeste apresentou no ano de 2010, a maior taxa de mortalidade infantil no Brasil. Apesar de o Brasil estar em constante redução, o país ainda está distante da média estipulada pela ONU (Organização das Nações Unidas) para as Metas de Desenvolvimento do Milênio.

Taxa de Mortalidade Infantil em cada região do Brasil, de 1930 a 2010

Ano Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste
1930 193,3 193,2 153 121 146
1940 166 187 140 118 133
1950 145,4 175 122 109 119
1960 122,9 164,1 110 96 115
1980 79,4 117,6 57 58,9 69,6
1990 44,6 74,3 33,6 27,4 31,2
2000 28,6 43 20,7 18,4 21
2010 23,5 33,2 16,6 15,1

17,8

 

Estima-se que, em 2015 a taxa de mortalidade infantil brasileira será de 18 crianças para cada mil nascidas vivas, e a meta é de 15 crianças.


Reportar erro