Oração sem sujeito

Saiba mais sobre a oração sem sujeito, em que não existe pessoa gramatical a qual o predicado se refere, articulando-se a partir de um verbo impessoal


A oração é todo enunciado linguístico dotado de sentido em que há, necessariamente, a presença do verbo ou de uma locução verbal, que pode estar explícito ou subentendido. De acordo com a Nomenclatura Gramatical Brasileira (NGB), os termos essenciais da oração são o sujeito e o predicado, mas sabemos que existe uma oração formada apenas do predicado: trata-se da oração sem sujeito.

O que é a oração sem sujeito?

A oração sem sujeito, ou sujeito inexistente, ocorre quando não existe elemento ou pessoa gramatical ao qual o predicado se refere, articulando-se a partir de um verbo impessoal. Os verbos impessoais são justamente aqueles que não possuem um sujeito.

Nas orações sem sujeito, a mensagem passada está focada no verbo e na informação contida nele.

oracao-sem-sujeito

Na língua portuguesa, os casos mais comuns de oração sem sujeito ocorrem com:

 a) Verbos ou locuções que indicam fenômenos da natureza:

Chover, nevar, trovejar, ventar, gear, amanhecer, anoitecer etc.

Exemplos:

Amanheceu antes do horário previsto.

Escureceu.

Esquentou um pouco agora.

Choveu muito no mês passado.

Atenção! Quando os verbos que indicam fenômenos da natureza são empregados no sentido figurado, eles podem ter sujeito determinado, que concorda com o verbo. Veja os exemplos a seguir:

Choviam crianças na distribuição de doces. (crianças = sujeito)

Já amanheci cansada. (eu = sujeito)

b) Verbos que indicam tempo decorrido ou fenômenos meteorológicos:

Ser, estar, fazer e haver.

Exemplos:

Está tarde!

São três horas.

Há muito tempo não fazia tanto frio assim.

Há muitos anos nos conhecemos.

Faz dois meses que não vou à academia.

c) O verbo “haver” no sentido de existir ou acontecer.

Exemplos:

Houve poucas inscrições para aquele concurso.

Houve um caso assim no meu bairro e tudo acabou bem.

Havia muita gente no cinema ontem.

d) Verbo “ser” na indicação de hora, datas e distâncias.

Exemplos:

É meio-dia agora.

Amanhã é dia 05 de novembro.

Observação: Ao indicar tempo, o verbo “ser” varia de acordo com a expressão numérica que o acompanha. Exemplo: É meio-dia/São nove horas.

Verbos impessoais

Os verbos impessoais, com exceção do verbo “ser”, devem ser usados sempre na terceira pessoa do singular. Atenção com os verbos “fazer” e “haver” usados impessoalmente, pois não é possível usá-los no plural.

Exemplos:

Faz muitos anos que nos conhecemos.

Havia muitos alunos interessados na explicação da professora.

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Reportar erro