Cáucaso

Também conhecida com o nome de Caucásia, o chamado Cáucaso é uma região localizada na Europa, em sua porção oriental, e na Ásia, em sua porção ocidental, onde existem alguns países transcontinentais.

Essa é uma região de grande instabilidade e conflitos territoriais, isso porque marca a fronteira entre dois continentes, Europa e Ásia. Além disso, é um ambiente com existência de metais não-ferrosos e de jazidas de petróleo, o que acirra ainda mais o interesse no domínio territorial daquele local.

Dos conflitos mais intensos e permanentes na região do Cáucaso, destaca-se o caso da Chechênia, a qual constitui o caso mais conhecido de luta separatista na Rússia. Esse evento vem se estendendo desde o colapso da União Soviética, ainda no ano de 1991.

A região do Cáucaso conta ainda com uma vasta quantidade de etnias, estimando-se que passem de 100. Há ainda uma multiplicidade de religiões, dando-se destaque ao cristianismo e ao islamismo.

O que é o Cáucaso?

A região do Cáucaso está localizada na fronteira entre os continentes europeu e asiático, mais precisamente na porção oriental da Europa e na porção ocidental da Ásia.

A referida região está entre o Mar Negro e o Mar Cáspio, incluindo-se a Cordilheira do Cáucaso, uma montanha com elevação superior aos 5.642 metros, abarcando os países do Azerbaijão, Rússia e da Geórgia.

Montanhas com neve

Parte da Cordilheira do Cáucaso que fica na Geórgia (Foto: depositphotos)

No Cáucaso existem vários países transcontinentais, ou seja, cujos territórios perpassam os limites de um continente especificamente, sendo eles: a Armênia, o Azerbaijão, o Cazaquistão, o Chipre, a Geórgia, a Rússia e a Turquia.

A existência de países com caráter transcontinental é um dos motivos pelos quais acabam por se estabelecer conflitos na região, já que há disputas territoriais e, principalmente por recursos naturais e energéticos, constantemente envolvidos em conflitos.

A história da região

A exploração do litoral do Mar Negro denota aos tempos das navegações gregas, ainda no século VIII a.C., quando foram implantadas várias colônias.

Na região do Cáucaso, estas colônias sofreram a influência cultural dos persas, dos partas (Império Arsácida) e dos romanos. Além disso, a região foi ainda ponto de encontro entre as civilizações bizantinas e árabes, no contexto da Idade Média.

Já no século XI, o Cáucaso sofreu a dominação dos turcos, e no século XII invasões dos povos mongóis. Ainda nesse contexto, entre os séculos XI e XIII, houve uma expansão da Armênia e da Geórgia. Mas com a tomada de Constantinopla (1453), a região passou ao controle dos otomanos, ficando isolada do mundo cristão.

Diante disso, nota-se que a região sofreu influência de vários povos e culturas, motivos pelos quais nunca esteve ileso dos conflitos.

No mesmo contexto, já havia uma expansão russa no Cáucaso, o que se tornou ainda mais intenso e evidente no final do século XVIII. Isso porque, houve a anexação da Geórgia, bem como a guerra entre a Pérsia e o Império Otomano, levando a Rússia a conquistar Erevan, atualmente capital e maior cidade da Armênia.

Houve uma profunda resistência dos povos que habitavam as montanhas na região, o que foi amenizado com a rendição de Chamyl, chefe muçulmano no contexto.

Contexto na Segunda Guerra

Entre os anos de 1942 e 1943 (Segunda Guerra Mundial), novos conflitos se estabeleceram na região do Cáucaso. Esses eventos atingiram os territórios nos quais haviam sido implantadas as repúblicas socialistas, como na Geórgia, na Armênia e no Azerbaijão.

No entanto, essas mesmas regiões sofreram com as investidas dos alemães, os quais tinham como intuito, principalmente, atingir o domínio acerca dos campos petrolíferos.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os países do Cáucaso seguiram no mesmo sentido do que os demais da URSS, inclusive no contexto da Guerra Fria (1947-1991). Assim, com a extinção da URSS, foram criados três novos estados independentes, a Armênia, a Geórgia e o Azerbaijão, ficando as demais seis repúblicas sob domínio dos russos.

No entanto, os conflitos na região não findaram naquele momento, mas se estendem até os dias atuais. Isso porque, essa é uma área de confluência entre povos e possui uma variedade de etnias que habitam a região.

Mapa com países do Cáucaso

Mapa político da região do Cáucaso (Foto: depositphotos)

Conflitos no Cáucaso

Armênia e Azerbaijão entraram em disputa pelo controle de Nagorno-Karabakh, sobre a qual ambos exigem poder. Já a Geórgia enfrenta os conflitos separatistas de Abecásia, a qual já se autodeclara independente desde o fim de uma guerra civil que assolou o local em 1992/1993.

O mesmo acontece com Ossétia do Sul, a qual se declara igualmente independente desde o conflito osseto-georgiano em 1991.

Caso da Chechênia

No entanto, o caso mais conhecido em relação aos conflitos no Cáucaso, diz respeito a Chechênia. Os conflitos vêm ocorrendo desde, pelo menos, os anos de 1830, quando o Império Russo invadiu a Chechênia como forma de garantir sua própria fronteira com o Império Otomano.

Na ocasião, os chechenos apresentaram resistência às invasões russas naqueles territórios. Mas ainda assim a Chechênia acabou por se tornar parte do império Russo ainda nos anos de 1917, quando houve a instauração da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. No contexto atual, a Chechênia é uma República Autônoma da Federação Russa.

Os conflitos no Cáucaso, especialmente no caso da Chechênia, são das mais variadas ordens (política, econômica e geográfica), especialmente pelas dificuldades dos russos de imporem seu pensamento diante de uma população com um passado histórico e um elemento cultural tão diverso.

Por conta dos conflitos, ainda em 1999, o primeiro-ministro russo na ocasião, (atual presidente russo), Vladimir Putin, adotou uma ofensiva contra os rebeldes da região da Chechênia. Iniciava-se então uma operação de cunho “antiterrorista” no local, para conter os revides e ataques promovidos por grupos considerados como terroristas na região.

A Chechênia tem como princípio sua independência, mas isso deu margem para que grupos de viés terrorista se aproveitassem da situação para investidas de diversas finalidades.

Portanto, há dentre aqueles que lutam pela independência da Chechênia, também grupos muçulmanos, os quais muito provavelmente tenham relações com o grupo extremista Al-Qaeda.

Por essa razão, intensificam-se as investidas sob o pretexto do combate aos radicais islâmicos, ocasião na qual, uma grande parcela da população é afetada, gerando pobreza e violência na região dos conflitos.

Referências
BBC. “Entenda o conflito na Chechênia“. Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2002/021024_russiamv.shtml. Acesso em 11 dez. 2017.

VESENTINI, José William. “Geografia: o mundo em transição“. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).