Ciclones, furacões e tufões

Os eventos meteorológicos ciclônicos podem carregar consigo intensas chuvas, causando alagamentos

Existem vários fenômenos naturais que atingem diretamente as dinâmicas humanas no globo, especialmente pelos danos que ocasionam quando atingem áreas ocupadas por populações. Ciclones, furacões e tufões são terminologias utilizadas para designar um mesmo fenômeno meteorológico, no entanto, recebem nomenclaturas diferentes por algumas particularidades que possuem em relação aos demais.

De modo geral, os ciclones, furacões e tufões são tempestades de grandes proporções, mas que ocorrem em locais diferentes do globo terrestre.

O que são ciclones, furacões e tufões?

Os três eventos, ciclones, furacões e tufões são fenômenos meteorológicos que possuem capacidade altamente destrutiva quando atingem algum tipo de barreira em sua trajetória, especialmente quando alcançam áreas onde existem populações.

Apesar de adotarem conceitos diferentes, ambos se referem basicamente ao mesmo fenômeno, o qual, no entanto, ocorre em locais diferentes do planeta Terra. Estes fenômenos têm como base a existência de um centro de baixa pressão, e se diferem em relação a direção de seu giro, no sentido horário no Hemisfério Sul e no sentido anti-horário no Hemisfério Norte.

Quando maior for a pressão no centro do fenômeno, com maior intensidade ocorrerão os ventos. Para que este fenômeno ocorra, são necessárias águas em temperatura maior do que 27ºC, por isso, é comum a ocorrência nas águas quentes das regiões tropicais.

Como agem esses fenômenos?

Assim, estes fenômenos naturais são caracterizados por enormes colunas de ventos, as quais carregam uma intensa carga energética, comparada com a força de uma bomba atômica, por conta das pressões existentes. São, portanto, massas de ar que executam intensos movimentos giratórios, muito rapidamente, e que se deslocam pela superfície oceânica.

Os ciclones tropicais, como são chamados, acabam perdendo sua intensidade quando atingem as áreas continentais, de modo que há uma ruptura em relação ao suprimento de umidade necessária para estes. São eventos que podem durar por algum tempo, chegando até dias, diferentemente de eventos como tornados, os quais são bastante rápidos e, por isso mesmo, bastante destrutivos, pois ocasionam intensos danos em apenas poucos minutos.

Quando ocorrem os ciclones, furacões e tufões, podem ser emitidos alertas, caso estes cheguem às áreas continentais habitadas, evitando-se maiores danos. O que não ocorre no caso dos tornados, para os quais ainda não existem sistemas de alerta eficazes.

Veja também: Tornado

Formação dos ciclones

Eventos atmosféricos como ciclones, furacões e tufões ocorrem em algumas circunstâncias específicas, quando há um aquecimento das águas dos oceanos, as quais se elevam acima dos 27ºC. O aquecimento das águas favorece a formação de nuvens propícias à formação destes fenômenos naturais, as chamadas cumulonimbus, as quais se juntam formando um sistema de baixa pressão atmosférica.

A pressão no interior destas nuvens acaba fazendo com que estas tenham um efeito giratório muito rápido. Quando o movimento das nuvens não ultrapassa os 50 quilômetros por hora, é chamado de Depressão Tropical. Quando se estende acima dos destes níveis, o evento passa a ser chamado de Tempestade Tropical.

Quando os ventos atingem velocidade acima dos 119 quilômetros por hora, passam a ser chamados de Furacão. No centro da nuvem espiral em movimento giratório, há a formação de um ponto onde os ventos são mais calmos, o chamado “olho” do furacão, onde há a predominância de baixa pressão, mas sem ventos intensos.

Ciclones, furacões e tufões são o mesmo fenômeno só que em locais diferentes

Esses fenômenos meteorológicos têm a capacidade altamente destrutiva (Foto: depositphotos)

Diferenças entre cada fenômeno

Apesar das contradições que existem, entende-se que os furacões e os tufões são tipos de ciclones tropicais que ocorrem em locais diferentes do globo terrestre. No Hemisfério Norte, os ventos giram no sentido anti-horário, enquanto no Hemisfério Sul eles giram no sentido horário. Assim, se diferenciam os termos para a explicação de um mesmo fenômeno, segundo a região do globo em que ocorrem.

Quando este fenômeno ocorre na região da Austrália, Indonésia, Nova Zelândia, no Leste da África, na região da Índia e Madagascar, recebe o nome de Ciclone Tropical. Já quando ocorre na região do Caribe, do México ou dos Estados Unidos, é denominado de Furacão. Na região das Filipinas, Japão, China e Taiwan, chama-se de Tufão.

Ocorrência dos ciclones, furacões e tufões

Os furacões e os tufões são tipos de ciclones tropicais que ocorrem em pontos diferentes da Terra, os furacões são comuns no Oceano Atlântico Norte, bem como no Oceano Pacífico Nordeste nas áreas que estão a Leste da Linha Internacional da Data, ainda no Oceano Pacífico Sul nas áreas que estão a Leste do meridiano correspondente aos 160º de Longitude.

Já os tufões são comuns no Oceano Pacífico Noroeste nas áreas a Oeste da Linha Internacional da Data. Os ciclones tropicais severos ocorrem no Oceano Pacífico Sudoeste nas áreas localizadas a Oeste da Longitude de 160º de Longitude, e ainda no Oceano Índico Sudeste nas áreas da Leste dos 90º de Longitude.

As chamadas tempestades ciclônicas severas ocorrem no Oceano Índico Norte e os ciclones tropicais no Oceano Índico Sudoeste. Assim, dependendo da localização da incidência do fenômeno, ele pode receber outra nomenclatura, a qual também varia em conformidade com a intensidade dos ventos registrados.

Danos ocasionados pelos ciclones, furacões e tufões

Além dos intensos ventos que ocasionam danos por onde passam, os eventos meteorológicos ciclônicos podem carregar consigo intensas chuvas, causando alagamentos. Os ventos causam problemas estruturais, bem como danos materiais quando carregam bens móveis, como veículos.

Podem ser registrados ainda danos em residências, como destelhamentos, são comuns também os casos de árvores arrancadas. Os danos registrados terão relação com a intensidade dos ventos, bem como os locais atingidos. A tabela abaixo demonstra como são classificados os eventos ciclônicos, segundo a força dos ventos. A classificação de Saffir-Simpson foi criada em 1969, e conta com cinco delimitação para enquadramento dos furacões.

Referências

» PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação – SEED. Dia a Dia Educação. Ciclone. Disponível em: < http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=267>. Acesso em 10 ago. 2017.

» PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação – SEED. Dia a Dia Educação. Furacões. Disponível em: < http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=264>. Acesso em 10 ago. 2017.

» PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação – SEED. Dia a Dia Educação. Tufão. Disponível em: < http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=268>. Acesso em 10 ago. 2017.

» SÃO PAULO. Biblioteca da Prefeitura de Santo André. Tornados, Furacões e Tufões. Disponível em: < http://www.santoandre.sp.gov.br/biblioteca/bv/hemdig_txt/080507001.pdf>. Acesso em 10 ago. 2017.

Sobre o autor

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e Mestre em Geografia (Unioeste)