Quando o turismo espacial será uma realidade para todos

Já pensou pegar um transporte e viajar até outro planeta? Essa parece ser uma realidade ainda distante para todos, mas quem disse que não existem pessoas que já fizeram isso e outras que já estão com um pézinho no espaço?

Neste artigo, você vai descobrir que o turismo espacial já é uma realidade, pois alguns viajantes já foram e outros estão de passagens compradas para viver essa experiência incrível, que vale salientar se diferem das idas científicas. Entenda.

Quais são os objetivos do turismo espacial?

Popularização do turismo espacial está cada vez mais sendo ampliado

A cada dia que passa o turismo espacial está se popularizando ainda mais (Foto: depositphotos)

A intenção do turismo espacial é puramente de lazer e começou a ser praticada em 2001. Durante esses últimos anos, os turistas eram incluídos em missões de pesquisa, haja vista o alto custo dos deslocamentos.

Até o momento, pouco menos de uma dezena de milionários participaram dessas viagens ao espaço. Porém, agora o turismo espacial está realmente prestes a ser “popularizado”, abrindo caminho para que mais pessoas possam participar e mais viagens possam acontecer.

A ideia é desvincular as viagens ao espaço dos fins científico (como aconteceu até agora) e que elas possam realmente ser feitas com o propósito exclusivo do lazer.

O que é preciso fazer para ir ao espaço?

Inicialmente, você precisará de muito dinheiro. Por isso, somente alguns magnatas já conseguiram embarcar para o espaço por meio de companhias americanas e russas. Uma viagem assim custa muito e, por isso, o interessado deve bancar a sua participação nessa “aventura”.

O primeiro turista espacial embarcou em 28 de abril de 2001. Foi o americano Denis Tito que pagou 20 milhões de dólares. Em 2002, foi a vez do africano Mark Shuttleworth, seguido de outro americano, Gregory Olsen, em 2005. Já em 2006, uma mulher iraniana Anousheh Ansari conheceu o espaço. Em 2007 e 2008, foram Charles Simonyi e o americano Richard Garriott. Em 2009, Simonyi repetiu o feito e foi pela segunda vez ao espaço. No mesmo ano foi a vez de Guy Laliberté.

Para que eles pudessem embarcar para o espaço, além do dinheiro, foi preciso a realização de uma série de exames físicos e médicos. E outros incontáveis testes e períodos de treinamento e adaptação.

Veja também: A corrida espacial

Como ir ao espaço atualmente?

Preço para se chegar ao espaço ainda é um tanto caro

Viagem ao espaço ainda tem um custo um tanto elevado (Foto: depositphotos)

Entre 2001 e 2011, o turismo espacial era mero coadjuvante de viagens científicas. Ou seja, milionários pagavam uma fortuna para viajar junto a astronautas de carreira.

O novo turismo espacial prevê que as viagens sejam feitas já em 2018 em aeronaves próprias para esse tipo de trip. Isso tudo já está sendo providenciado pela empresa Virgin Galactic, que pertence ao bilionário inglês Richard Branson. A nave construída por ela se chamada VSS United e funciona como ônibus.

As primeiras 700 passagens já foram vendidas e custaram cerca de 250 mil dólares. E o segredo dos preços terem caído tanto em relação ao que os milionários pagaram anteriormente é que a Virgin Galactic desenvolveu um roteiro especial.

Ao contrário dos voos científicos, a ideia é que a VSS United só realize voos suborbitais, a 100 quilômetros de altitude. Apesar de não entrar em órbita, durante duas horas, os viajantes poderão experimentar a falta de gravidade e admirar o planeta terra lindo e suspenso no espaço, do jeitinho que muito gente imagina.

Outra iniciativa é que os foguetes turísticos não saiam no chão. Mas sim de estações já no ar para diminuir a queima de combustível, principal elemento que encarece os voos. Por conta desses e de outros fatores, o turismo espacial ficou mais “acessível”, mesmo que ainda bastante caro.

Algumas outras empresas também pretendem oferecer turismo espacial, como as americanas Space X, World View Experience e Blue Origin. Essa oferta promete aumentar a concorrência e tornar um pouco mais acessível uma viagem turística ao espaço.

Veja também: Trappist-1: O novo sistema solar com 7 planetas descoberto pela Nasa

Outros meios de turismo espacial

Se você acha que viajar em um “ônibus turístico” para o espaço já é moderno demais. Imagine se hospedar no espaço? O projeto futurista é da empresa Bigelow Aerospace que já trabalha em protótipos de hotéis no espaço, chamados de ​​Gênesis.

O espaço físico dessas hospedagens seria feito de um material inflável. Algo inimaginável a alguns anos atrás, mas que pode se tornar realidade em alguns anos.

O turismo lunar também já é algo debatido e estudado. O turista pode escolher entre a trajetória circunlunar, órbita lunar e até aterrissagem lunar. Esse trajeto custará milhares de dólares a quem se dispor e é mais elaborado do que o turismo simples espacial.

Todas as viagens ao espaço podem durar algumas horas ou semanas. Os turistas que passarem mais tempo terão que se preocupar com roupas adequadas e treinamento pesado para se acostumarem com as condições exóticas de sobrevivência do espaço.

A comida deve ser aquela velha combinação de enlatados. Mas há expedições científicas que conseguiram plantar sua própria horta e isso pode ser reaproveitado pelas viagens turísticas.

O perfil dos viajantes é algo curioso: nas passagens vendidas pela Virgin Galactic, a empresa que está mais à frente do envio de turistas para o espaço, há clientes de todas as idades, inclusive crianças de 10 anos!

E, você, toparia uma viagem espacial?

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.