Biografia de Lenin

Lenin foi de grande importância para o socialismo, seu governo e ideias se destacam em sua biografia. Veja detalhes de sua morte e da revolução russa


Lenin nasceu no dia 22 de abril de 1870, batizado como Vladimir Ilyich Ulyanov, numa cidade rural da Rússia chamada Simbirsk. Sua família era de classe média, sua mãe Maria Alexandrovna Ulyanova era professora, e seu pai Ilya Ulyanov Nikolayevich funcionário do governo russo e inspetor das escolas da província de Simbirsk. Ele teve sua classe social elevada para nobreza após ser nomeado diretor das escolas da província e por seu trabalho burocrático para o governo. Era um homem altamente religioso e sempre educou os filhos contra o radicalismo, sendo apoiador das reformas de Alexandre II.

Biografia de Lenin

Veja a biografia de um dos grandes nomes do socialismo mundial, Lenin. | Foto: Reprodução

Radicalização

A radicalização de Lenin veio após a morte de seu pai e do enforcamento de seu irmão mais velho por uma tentativa de assassinato contra o czar Alexandre III, sua irmã presa junto com ele foi exilada para uma propriedade da família. Aos dezessete anos Lenin entrou para a Universidade de Kazan onde permaneceu sob vigilância policial por ser irmão de um terrorista. Neste mesmo período ele entrou em contato pela primeira vez com as obras de Karl Marx Friedrich Engels. Após conseguir um diploma em direito, Lenin foi aceito para a Universidade de São Petersburgo três anos mais tarde.

Anos depois em 1895, ao mudar-se para São Petersburgo, fundou a “Liga da Luta pela Emancipação da Classe Operária” e foi preso por conspiração contra o czar Alexandre III. Exilado para o leste da Sibéria, Lenin se casou com uma militante socialista  Nadežda Konstantinovna Krupskaja e publicou sob o pseudônimo de Vladimir Ilyin o livro  “O Desenvolvimento do Capitalismo na Rússia”, um de seus trinta trabalhos feitos no exílio. Ao final do exílio ele mudou-se para cidades como Londres, Munique, Genebra e fundou o “Jornal Iskra” com Julius Martov, que mais tarde seria um de seus principais opositores políticos, ao mesmo tempo em que recrutava pessoas para o Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR).

Lenin no Partido Operário Social-Democrata Russo

No segundo congresso do Partido Operário Social-Democrata Russo há uma divisão ideológica dentro do próprio partido entre as facções bolcheviques (liderada por Lenin) e mencheviques (liderada por Julius Martov). O apoio de Lenin a uma aliança operária-camponesa que desejava derrubar o poder do czar foi um dos fatores que levou a ruptura das duas facções no partido. Após ser eleito para presidente do partido e do fracasso na Revolução Russa em 1907, ele voltou para seu exílio e até 1917 viveu na Europa Ocidental onde desenvolveu o Leninismo, onde adaptava a política econômica de Marx para garantir que a revolução fosse liderada por um partido de vanguarda.

No ano de 1919 Lenin posicionou-se sobre o antissemitismo com palestras gravadas em gramofones e publicadas que diziam “Não são os judeus que são os inimigos do povo trabalhador. Os inimigos dos trabalhadores são os capitalistas de todos os países. Entre os judeus, há pessoas trabalhadoras, e eles formam a maioria. Eles são nossos irmãos, que, como nós, são oprimidos pelo capital, pois eles são nossos companheiros na luta pelo socialismo. […] Os capitalistas se esforçam para semear e fomentar o ódio entre trabalhadores de diferentes credos, nações e raças diferentes.”

Terror Vermelho

Em resposta às tentativas de assassinato e do assassinato de Fanya Kaplan, Lenin autorizou, por proposta de Stalin, a abertura de um terror em massa contra os responsáveis. A lista de assassinatos contava com cerca de 765 guardas de banco, 25 ministros czaristas e funcionários públicos no mês de setembro de 1918. Historiadores afirmam que há provas suficientes para crer que Lenin é também o responsável pela exterminação Família Real Russa, os Romanov.

Morte de Lenin

Lenin sofreu de diversos acidentes vasculares cerebrais (AVC), quando no terceiro veio a falecer em 21 de janeiro de 1924. Contudo a causa de sua morte ainda permanece um mistério, causas prováveis são sífilis, apesar de seu corpo não apresentar sintomas da doença, e de que teria morrido por causa de uma bala que ficara incrustada em seu pescoço, resultado de uma das diversas tentativas de assassinato. Seu corpo foi embalsamado e permanece exposto num mausoléu situado na Praça Vermelha em Moscou até os dias de hoje.


Reportar erro