Biografia de Margaret Thatcher

Essa personalidade foi a primeira-ministra do Reino Unido entre os anos de 1979 a 1990

A biografia de Margaret Thatcher traz detalhes interessantes de uma mulher à frente do seu tempo. Ela nasceu na cidade britânica de Grantham em 13 de outubro de 1925. Seu nome ficou gravado na história mundial como a primeira-ministra do Reino Unido entre os anos de 1979 a 1990.

Thatcher foi a primeira mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra e foi a que mais anos ficou nessa posição política. Seu apelido “dama de ferro” ajudou a cunhar a sua fama como sendo uma mulher forte e de medidas severas. Conheça agora a biografia de Margaret Thatcher.

Biografia de Margaret Thatcher: Infância e juventude

Margaret Hilda Roberts era filha Alfred Roberts e Beatrice Ethel donos de duas mercearias. A infância da menina foi marcada pela Segunda Guerra Mundial. Sua família não era judia, mas ajudou a acolher uma jovem que era perseguida pelo nazismo.

Sua veia política vinha do seu pai, pois antes de administrar as mercearias, ele já tinha sido vereador e prefeito. Na escola, a menina se destacava não só nas matérias curriculares, mas também nas atividades que envolviam a música, esporte e literatura. Em 1943, ela conquistou uma bolsa para estudar Química no Colégio Somerville da Universidade de Oxford.

Margaret Thatcher pousando para foto

Nascida na cidade britânica de Grantham, Margaret foi primeira-ministra do Reino Unido durante 11 anos (Foto: Wikipedia)

Quatro anos depois, Margaret formava-se com especialização em cristalografia de raios X. Durante seus anos em Oxford, ela ficou conhecida como uma jovem séria e que se interessava por assuntos gerais. Inclusive, na sua biografia, alguns lembram que ela chegou a ser considerada obstinada e “dona da verdade”, tendo inclusive dificuldade para arrumar emprego.

Início da vida política

Margareth não poupou esforços para se associar a diversos movimentos da época. Inicialmente, eles eram ligados à química, sua área de formação, como a Associação dos Graduados Conservadores da Universidade e o Vermin Club.

Vendo sua atuação, a Associação Conservadora de Dartford em Kent convidou Margareth para se candidatar em 1951, quando ela tinha 25 anos. Para isso, ela mudou-se para o distrito de Dartford e chegou a trabalhar em uma empresa de fabricação de insumos para sorvetes.

Nas eleições de Dartford, Margareth se destacou pela sua inteligência e respostas dinâmicas. Apesar disso, ela perdeu por dois anos seguidos, em 1950 e 1951, para o trabalhista Norman Dodds.

Veja também: Significado da bandeira da Inglaterra

Casamento

Nessa época, Margareth conheceu o seu futuro marido que lhe daria o sobrenome Thatcher. Denis Thatcher era um homem de negócios que a conheceu durante um jantar em fevereiro de 1951.

Poucos meses depois, o casal oficializava a união em dezembro. Depois do casamento, Margareth Thatcher tornou-se anglicana e, posteriormente, advogada, graças ao financiamento educacional do marido. Em 1953, Margareth tornava-se mãe dos gêmeos, chamados de Mark e Carol.

Reinício da vida política

Depois de dedicar-se aos gêmeos, Margareth resolveu retomar as suas tentativas de entrar na vida pública. O ano era 1958 e ela se candidatou em 1959 pelo distrito de Finchley, saindo pela primeira vez vitoriosa na disputa contra Ian Montagu Fraser.

Seu primeiro cargo foi como deputada pelo distrito de Finchley para a Câmara dos Comuns. Era o início de uma longa e duradoura vida política na Inglaterra.

Nos seus primeiros anos, ela se destacou em projetos que pediam por reuniões públicas dos conselhos e outras posições mais polêmicas. Em outubro de 1961, foi promovida como Subsecretária Parlamentar do Ministério das Pensões e Seguros Nacionais pelo Primeiro-Ministro Harold Macmillan.

Esse era o primeiro passo para que Margareth ganhasse cada vez mais destaque. Em 1964, ela tornou-se porta-voz da Habitação e da Terra; e em 1966, porta-voz do Tesouro do Ministério Sombra do Tesouro.

Margareth envolvia-se em muitas questões econômicas, pedindo a redução dos impostos, mas também sociais. Como por exemplo, em 1967, ela foi uma das únicas parlamentares da ala conservadora que votou a favor da descriminalização a homossexualidade masculina, legalização do aborto até 28ª semana de gestação, entre outras questões como pena de morte e divórcio.

Em 1967, Thatcher deu um passo importante na sua carreira, pois foi convidada pela embaixada dos Estados Unidos para participar do Programa de Liderança para Visitantes Internacionais. Ao chegar dos EUA, ela foi promovida para o Gabinete Sombra como porta-voz de Combustível e Energia.

Em 1970, ela foi promovida novamente como porta-voz do Ministério Sombra dos Transportes. Depois tornou-se porta-voz do Ministério da Educação.

Veja também: As mulheres na história

Thatcher como secretária da educação

Em 1970, Thatcher se destacou com sua atuação para reduzir gastos. No seu primeiro ano, ela se envolveu com uma polêmica ao cortar o fornecimento de leite para as crianças entre 7 e 11 anos. Tudo para economizar.

No ano seguinte, ela utilizou sua experiência como cientista para também tomar decisões sobre o financiamento público para as pesquisas. Sua assinatura na Secretaria da Educação foi marcada também pelo aumento de escolas abrangentes.

Foto em preto e braco de Margaret Thatcher sorrindo

Apelido de ‘Dama de Ferro’ tornou-se a marca registrada da primeira-ministra (Foto: Pixabay)

Enquanto Thatcher estava à frente da educação do Reino Unido, o primeiro-ministro que a colocou lá, sofria altas taxas de rejeição como líder do conservadorismo. Seus opositores eram os trabalhistas, que passaram a ganhar pequenas eleições em 1974.

Com isso, Thatcher foi o nome sugerido para tornar-se líder do Partido Conservador e Líder da Oposição em 1975. Nesse período, os trabalhistas perderam popularidade e acabaram perdendo a maioria dos assentos dos deputados para os conservadores.

Com isso, em 1979, Margareth Thatcher foi eleita como a primeira mulher Primeira-Ministra do Reino Unido e da Europa.

E foi durante seu período como primeira-ministra que Thatcher ganhou o apelido Dama de Ferro. Ele foi cunhado por um jornal soviético que foi criticado por ela e como refutação a apelidou assim. Porém, o que era para ser uma espécie de agressão, acabou sendo adotada pela própria ministra e pelos ingleses.

Feitos de Margaret Thatcher

Na fase inicial como primeira-ministra, Margaret Thatcher impôs políticas para tentar diminuir o emprego, privatizar estatais e tornar o mercado mais flexível. Ela enfrentou uma grave recessão que quase a tirou do poder.

Porém, após a vitória da Guerra das Malvinas em 1982 e a recuperação da economia, ela conseguiu ser reeleita em 1983 e, consequentemente, em 1987. Após vários anos à frente do Reino Unido, a primeira-ministra renunciou ao cargo.

A decisão foi tomada após tornar-se mais impopular por defender alguns impostos e sofrer forte oposição do seu próprio partido, o conservador. Thatcher morreu em 2013, depois de sofrer um AVC, quando tinha 87 anos.

Legado político de Margareth Thatcher

O legado político de Thatcher pode ser analisado sob a ótica do: bem-estar social, indústria nacionalizada e regulamentação da economia. Alguns dos seus discursos ficaram famosos no mundo inteiro. Veja um deles e entenda mais sobre a política feita por Margareth Thatcher.

Discurso como primeira-ministra

“Um dos grandes debates do nosso tempo é sobre quanto do seu dinheiro deve ser gasto pelo Estado e com quanto você deve ficar para gastar com a sua família. Nunca nos devemos esquecer desta verdade fundamental: o estado não têm outra fonte de recursos para além do dinheiro que as pessoas ganham por si próprias.

Se o Estado deseja gastar mais ele só pode faze-lo levando emprestada a sua poupança ou cobrando-lhe mais impostos. E não adianta pensar que alguém irá pagar, dado que esse ‘alguém’ é você. Não existe essa coisa de dinheiro público, existe apenas o dinheiro das pessoas que pagam impostos.

A prosperidade não virá por inventarmos mais e mais programas generosos de gastos públicos dado que você também não enriquece por pedir outro livro de cheques ao banco. Nenhuma nação se tornou mais próspera por tributar os seus cidadãos para além das suas capacidades de pagar.

Nós temos um dever de garantir que cada cêntimo que arrecadamos com os impostos seja gasto bem e sabiamente, pois é o nosso partido que é dedicado à boa economia doméstica.

Na verdade, atrevo-me a apostar que se o Sr. Gladstone estivesse vivo, iria-se filiar no Partido Conservador. Proteger a carteira do cidadão, proteger os serviços públicos, essas são as nossas duas maiores tarefas e ambas devem ser conciliadas. Como seria prazeroso, como seria popular dizer ‘gaste mais nisso, gaste mais naquilo’.

É claro que todos nós temos causas favoritas, eu pelo menos tenho… Mas alguém têm de fazer as contas, todas as empresas têm de faze-lo, toda a dona de casa tem de faze-lo, todos os governos deveriam faze-lo e este irá faze-lo!”

Veja também: Mulheres notáveis que ficaram de fora dos livros de história

Frases de Margareth Thatcher

“O consenso é a negociação da liderança”.

“Ninguém se lembraria do Bom Samaritano se ele só tivesse boas intenções. Ele possuía também dinheiro”.

“Um líder é alguém que sabe o que quer alcançar e consegue comunicá-lo”.

“Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver que lembrar às pessoas que você é, você não é”.

“Podes ter de travar uma batalha mais de uma vez, para a vencer”.

“Gostaria que você soubesse que existe dentro de si uma força capaz de mudar sua vida. Basta que lute e aguarde um novo amanhecer”.

“Vale a pena conhecer o inimigo… entre outras coisas pela possibilidade de que algum dia ele se converta num amigo”.

“A paciência é uma virtude, exceto quando se trata de separar os inconvenientes”.

“Qualquer mulher que entenda os problemas de cuidar de uma casa está muito perto de entender os de cuidar de um país”.

“O problema com o comunismo é que um dia o dinheiro dos outros acaba”.

“O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros”.

“A missão do político não é a de agradar a todo mundo”.

“‘Liberdade, igualdade, fraternidade’ – eles se esqueceram de obrigações e deveres, eu acho. E então, é claro, a fraternidade desapareceu por muito tempo.”

“Não seja tolo, senhor Gorbachev, vocês mal conseguem alimentar seus próprios cidadãos”.

“Os socialistas gritam ‘Poder ao Povo’ e erguem o punho cerrado enquanto o dizem. Todos nós sabemos que o que realmente querem dizer é ‘Poder sobre as pessoas, Poder ao Estado’”.

“Se você quer apenas ser querido, você estaria preparado a se comprometer com nada em qualquer momento e você não conseguiria alcançar nada”.

“Eu entrei no governo com um objetivo: transformar o país, de uma sociedade dependente em uma sociedade autoconfiante, de uma nação dê-para-mim em uma nação faça-você-mesmo”.

“Se você quer que digam algo, peça a um homem. Se você quer que façam algo, peça a uma mulher”.

“As pessoas acham que no topo não há muito espaço. Elas tendem a pensar no topo como um pico do Everest. Minha mensagem é que há uma imensidão de espaço no topo”.

“Tentar curar a doença britânica com socialismo era como tentar curar leucemia com sanguessugas”.

Referências

http://maioresdiscursos.blogspot.com/2018/01/discurso-de-margaret-tatcher-primeira.html

https://www.pensador.com/

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.