Biografia e obras de José de Alencar

José de Alencar foi um romancista, dramaturgo, jornalista, advogado e político brasileiro, sendo um dos maiores expoentes da corrente literária denominada “indianista”. O escritor nasceu…


José de Alencar foi um romancista, dramaturgo, jornalista, advogado e político brasileiro, sendo um dos maiores expoentes da corrente literária denominada “indianista”. O escritor nasceu no dia 1º de maio de 1829, em Mecejana, Ceará, e faleceu no dia 12 de dezembro de 1877, na cidade do Rio de Janeiro, vítima da tuberculose. Era filho de José Martiniano de Alencar e Ana Josefina de Alencar, e desde a infância, apreciava a leitura, a vida sertaneja e a natureza, sob a influência de seu pai.

José de Alencar

Foto: Reprodução

Em 1844, José de Alencar foi cursar Direito em São Paulo. Após esse período, voltou para o Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão, colaborou no Correio Mercantil e escreveu para o Jornal do Comércio. Na vida política, Alencar foi eleito Deputado Federal pelo Ceará e Ministro da Justiça, porém não conseguiu alcançar a sua maior ambição: ser senador. Por não ter conseguido alcançar o seu objetivo, o romancista abandonou a política e dedicou-se somente à literatura.

Em 1856, o escritor publicou “Cartas sobre a Confederação dos Tamoios”, e nesse mesmo ano, lançou o seu primeiro romance, “Cinco Minutos”. Em 1876, Alencar vendeu todos os seus pertences e viajou junto com a sua esposa e seus filhos para a Europa, em busca de um tratamento para a tuberculose.

Características das obras de José de Alencar

José de Alencar escreveu romances indianistas, regionais, históricos, urbanos, obras teatrais, poesias, crônicas, romances-poemas de natureza lendária e escritos políticos. O escritor alcançou muito sucesso e destaque na carreira literária com a publicação do romance “O Guarani”, em forma de folhetim, no Diário do Rio de Janeiro. Este romance serviu de inspiração ao músico Carlos Gomes, que compôs a ópera com o mesmo nome do livro.

Em 1966, a obra mais importante do autor, intitulada “Iracema”, foi muito elogiada por Machado de Assis, que escolheu Alencar para patrono da cadeira nº 23 da Academia Brasileira de Letras. Pelas características presentes em sua obra, José de Alencar pode ser considerado o precursor do romantismo no Brasil. Embora seja mais conhecido por suas obras literárias, o escritor brasileiro também escreveu algumas peças de teatro, como “Nas Asas de um Anjo”, “Mãe” e “O Demônio Familiar”. O romancista teve uma grande preocupação em retratar a terra e o povo brasileiro, e muitas de suas obras relatam mitos, lendas, tradições, festas religiosas, usos e costumes tipicamente brasileiros.

As principais obras de José de Alencar

Romances urbanos:

  • Cinco minutos (1856);
  • A viuvinha (1860);
  • Lucíola (1862);
  • Diva (1864);
  • A pata da gazela (1870);
  • Sonhos d’ouro (1872);
  • Senhora (1875);
  • Encarnação (1893).

Romances indianistas e/ou históricos:

  • O Guarani (1857);
  • Iracema (1865);
  • As minas de prata (1865);
  • Alfarrábios (1873);
  • Ubirajara (1874);
  • Guerra dos mascates (1873).

Romances regionalistas:

  • O gaúcho (1870);
  • O tronco do ipê (1871);
  • Til (1872);
  • O sertanejo (1875).

Reportar erro