Crônica

Entenda qual o papel da crônica na Língua Portuguesa, quando ela deve ser empregada e como identificá-la


Para quem busca prestar um bom vestibular, estudar para provas ou ser um melhor aluno da Língua Portuguesa, é fundamental conhecer os gêneros textuais e saber diferenciá-los. O Português faz parte da vida em todos os momentos: ao estudar, ao participar de uma entrevista de emprego, ao se comunicar com amigos e familiares, e para ser bem compreendido é importante conhecê-lo bem. Assim, aprenda mais sobre crônica, quais suas principais características e classificações.

Crônica

Foto: Reprodução

Características

A palavra crônica possui origem grega, derivada de “chronos” (tempo), e por essa razão uma de suas maiores características é o caráter contemporâneo, sendo muito relacionada com a ideia de tempo e relatando os fatos cotidianos de seu registro numa linguagem conotativa e literária.

A crônica é uma narração curta, feita especialmente para a veiculação na imprensa, em jornais ou revistas – primordialmente em jornais. Esse fato confere a ela uma sentença de vida curta, já que muitas outras crônicas nas próximas edições precederão a que foi publicada hoje.

É possível encontrar semelhanças entre o texto de cunho exclusivamente informativo e a crônica. Tanto o repórter quanto o cronista constituem suas escritas com base em acontecimentos diários. No entanto, o repórter apenas repassa as informações, enquanto o cronista tem a liberdade de conferir à crônica, toques próprios, incluindo-lhe fantasias, ficção e outros elementos que um artigo meramente informativo não possui. Assim, a crônica é considerada por muitos como o meio termo entre a literatura e o jornalismo, sendo o cronista visto como um poeta dos acontecimentos diários.

Geralmente, a crônica é narrada em primeira pessoa, de forma que o próprio cronista “dialogue” com seu leitor. O escritor pode apresentar a sua própria visão sobre determinado assunto, selecionando palavras e desenvolvendo seu estilo próprio, expondo dessa forma a sua visão de mundo, sua maneira pessoal de compreender os acontecimentos aos quais toma conhecimento. É importante que a crônica seja transmitida numa linguagem espontânea e simples, situada entre a linguagem literária e a oral. Isso gera uma identificação entre o leitor e o cronista.

Classificações da Crônica

A crônica pode ser:

– humorística, na qual o autor faz graça dos acontecimentos cotidianos;

– filosófica, onde o cronista faz reflexões a partir de eventos ou fatos;

– lírica, em que o escritor relata os fatos com sentimentalismo e nostalgia;

– jornalística, apresentando aspectos particulares de fatos ou notícias de qualquer cunha;

– crônica ensaio, na qual o cronista tece críticas nas relações sociais e de poder, de forma irônica.


Reportar erro