Saiba tudo sobre Demócrito

Nascido em 460 a.C., Demócrito tem conhecidos, atualmente, apenas 200 escritos de sua autoria. O filósofo que viveu até 360 a.C. demonstrou, em suas…


Nascido em 460 a.C., Demócrito tem conhecidos, atualmente, apenas 200 escritos de sua autoria. O filósofo que viveu até 360 a.C. demonstrou, em suas obras, grande interesse em história, astronomia, linguística, meteorologia e alguns outros assuntos, mas os únicos aos quais se absteve foram religião e política.

Por algumas vezes, o filósofo foi para o Egito, Pérsia, Etiópia e Índia para aprimorar seus estudos. Ele foi, além de filósofo, historiador e cientista atomista grego, original de Abdera, na Trácia. É considerado na filosofia atual, o principal representante da escola atomista, defendendo uma explicação muito prática, material e mecânica do mundo. Discípulo e sucessor de Leucipo de Mileto na direção da escola de Abdera, Demócrito foi autor de muitos textos científicos.

Questionamentos

Demócrito defendia o atomismo geométrico, ou seja, a doutrina que acreditava que a matéria, em toda e qualquer forma, era constituída de átomos rígidos muito pequenos, com tamanhos e formas variadas agrupando-se em combinações casuais e por processos mecânicos.

Saiba tudo sobre Demócrito

Imagem: Reprodução

Um dos questionamentos que Demócrito levantou, tratava-se da alma: será que essa também seria feita de átomos? Como resposta, acreditando que o átomo é um elemento que dá origem a uma infinidade de especulações complexas, chegou ao seguinte pensamento: “os princípios de todas as coisas são os átomos e o vazio”. Para ele, a existência dos átomos pressupõe a manifestação do vazio, que nada mais é do que o espaço em que os átomos se movimentam.

Ainda de acordo com ele, “os homens acreditam que branco e preto, doce e amargo e todas as outras qualidades do gênero, são algo de real, quando na verdade só o que existe é o ente e o nada”. Essa, para ele, é a forma de explicação da relação entre os átomos e o vazio. A teoria de Demócrito implica ainda nas diferenças existentes na quantidade entre os átomos, e ainda as combinações que podem ser feitas entre eles são as respostas para determinar a qualidade de tudo.

Entre seus ideais, ainda há a discussão em torno da linguagem e como foi criada e desenvolvida pelos homens, e além disso, foi o primeiro a falar sobre o convencionalismo linguístico. Para ele, os homens usavam de palavras desarticuladas e desprovidas de significado e, aos poucos, foram construindo uma linguagem e estruturando as palavras, conseguindo posteriormente a articular palavras e expressões convencionais que foram determinadas para designar objetos e ações.

Outro questionamento feito pelo filósofo foi em torno da questão fundamental, afirmando que a vida teria surgido da concentração de átomos em corpos sólidos de forma compactada.

Obras de Demócrito

Entre as principais obras do autor, as que mais têm destaque são “Pequena ordem do mundo”, “Da forma”, “Do entendimento”, “Do bom ânimo”, “Pitágoras” e “Preceitos”.


Reportar erro