Questões sobre Modernismo que podem cair no Enem

O modernismo é a escola literária mais cobrada no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ele se divide em três partes


O modernismo é a escola literária mais cobrada no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ele se divide em três partes. A 1ª fase vai de 1922 a 1930; a 2ª de 1930 a 1945 e a 3ª e última de 1945 a 1960.

Primeira Fase

A primeira fase do modernismo está associada à Semana de Arte Moderna, que representou uma renovação de linguagem e a arte passou de vanguarda para o modernismo. O evento marcou por apresentar novos conceitos artísticos, sofrendo forte influência das vanguardas europeias. Seus principais representantes foram Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Oswald de Andrade (a tríade modernista).

Questões sobre Modernismo que podem cair no Enem

Foto: depositphotos

Segunda Fase

A segunda fase também é conhecida como Fase de Consolidação, representa um amadurecimento e um aprofundamento das conquistas da geração de 1922. Um dos autores que marcaram essa fase foram: Graciliano Ramos, Rachel de Queiroz, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Vinícius de Morais, Guimarães Rosa e Manoel de Barros.

Terceira Fase

A terceira fase do modernismo também leva os nomes de “geração 45” e “fase pós-modernista”. Ruptura com a primeira e segunda fase, uma busca por novas expressões literárias e novos experimentos estéticos são as principais características desse período. Os autores mais marcantes foram Clarice Lispector, João Cabral de Melo Neto, Vinícios de Moraes, João Guimarães Rosa e Cecília Meireles.

Questões do Enem sobre Modernismo

01) O trovador

Sentimentos em mim do asperamente
dos homens das primeiras eras…
As primaveras do sarcasmo
intermitentemente no meu coração arlequinal…
Intermitentemente…
Outras vezes é um doente, um frio
na minha alma doente como um longo som redondo…
Cantabona! Cantabona!
Dlorom…
Sou um tupi tangendo um alaúde!

ANDRADE, M. In: MANFIO, D. Z. (Org.) Poesias completas de Mário de Andrade.
Belo Horizonte: Itatiaia, 2005.

Para ao Modernismo, a questão da identidade nacional é recorrente na prosa e na poesia de Mário de Andrade. Em O trovador, esse aspecto é

a) abordado subliminarmente, por meio de expressões como “coração arlequinal” que, evocando o carnaval, remete à brasilidade.
b) verificado já no título, que remete aos repentistas nordestinos, estudados por Mário de Andrade em suas viagens e pesquisas folclóricas.
c) lamentado pelo eu lírico, tanto no uso de expressões como “Sentimentos em mim do asperamente” (v. 1), “frio” (v. 6), “alma doente” (v. 7), como pelo som triste do alaúde “Dlorom” (v. 9).
d) problematizado na oposição tupi (selvagem) x alaúde (civilizado), apontando a síntese nacional que seria proposta no Manifesto Antropófago, de Oswald de Andrade.
e) exaltado pelo eu lírico, que evoca os “sentimentos dos homens das primeiras eras” para mostrar o orgulho brasileiro por suas raízes indígenas.

Gabarito: Letra D

 

02) Graciliano Ramos é autor que, no Modernismo, faz parte da:

a) fase destruidora, que procura romper com o passado.
b) segunda fase, em que se destaca a ficção regionalista.
c) fase irreverente, que busca motivos no primitivismo.
d) geração de 45, que procura estabelecer uma ordem no caos anterior.
e) década de 60, que transcendentaliza o regionalismo.

Gabarito: Letra B

 

03) “Poética”, de Manuel Bandeira, é quase um manifesto do movimento modernista brasileiro de 1922. No poema, o autor elabora críticas e propostas que representam o pensamento estético predominante na época.

Poética

Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário
o cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas
[…]

Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

– Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.

(BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de janeiro: José Aguilar, 1974)

Com base na leitura do poema, podemos afirmar corretamente que o poeta:

Critica o lirismo louco do movimento modernista.
b) Critica todo e qualquer lirismo na literatura.
c) Propõe o retorno ao lirismo do movimento clássico.
d) Propõe o retorno do movimento romântico.
e) Propõe a criação de um novo lirismo.

Gabarito: Letra E


Reportar erro