Vida e obras de Padre Antônio Vieira

Famoso no Brasil e em Portugal, Padre Antônio Vieira nasceu na capital lusitana em 1608 e se mudou para a Bahia com sua família…


A vida de Padre Antônio Vieira

Imagem: Reprodução

Famoso no Brasil e em Portugal, Padre Antônio Vieira nasceu na capital lusitana em 1608 e se mudou para a Bahia com sua família aos seis anos de idade. Foi ai que iniciou os estudos no colégio jesuíta e aos 21 anos já lecionava no colégio de Teologia em Salvador. No ano de 1640, Vieira retornou a Portugal e lá foi nomeado Pregador-régio, título que o fez ficar na sua terra natal até 1652, quando finalmente resolve voltar às terras brasileiras. Torna-se chefe de uma missão da Igreja no Maranhão, mas é logo expulso da região por ter defendido os indígenas da escravidão imposta pelos colonos portugueses, em 1661. A inquisição cassou os seus direitos de pregador e até mesmo o condenou a prisão domiciliar. Tocado com o caso, a maior entidade de Portugal interveio e mandou o missionário para Roma, na tentativa de que ele reconstruísse seus direitos como pregador. O padre passou novamente por Portugal, mas não foi bem recebido e retornou ao Brasil em 1681, contudo sem deixar o seu envolvimento com as questões políticas, defesa dos judeus, índios e negros. No ano de 1697, Antônio vieira falece no Colégio da Bahia, em Salvador.

A obra de Pe. Antônio Vieira é dividida em

  • Profecias: História do Futuro; Esperanças de Portugal; Clavis Prophetarum.
  • Cartas: Existem cerca de 500 cartas que, em geral, tratam de assuntos sobre a inquisição, os novos cristãos e a relação de Portugal e Holanda. Muitos têm essas cartas como documentos históricos importantes.
  • Sermões: Ele escreveu aproximadamente 200 sermões com o estilo barroco conceptista. Tratava o assunto de maneira lógica, racional e utilizava a retórica aprimorada. Seu sermão mais famoso é o “Sermão da Sexagésima”, que é cheio de metalinguagem e tem como tema a própria arte de pregar.

Os sermões de Vieira

Durante a vida do padre, seus sermões circularam impressos simultaneamente, tanto quanto sinal de sua autoridade e fama de pregador, quanto meio de afirmação de sua autoridade. Sua obra mais famosa foi o Sermão da Sexagésima, que foi proferido na Capela real de Lisboa em março de 1655. Nesse sermão, Antônio apurou a retórica, contando com sua boa memória e rara habilidade do domínio da palavra. Outros sermões de Vieira são totalizados em mais de 200 divididos em 12 volumes, que foram organizados ao final de sua vida, quando ele estava com 71 anos de idade. O primeiro volume começou a ser editado em 1679 e o último volume organizado pelo próprio autor só saiu um ano após a sua morte.


Reportar erro