Existe imposto de renda em outros países?

Descubra se o Brasil é o único a cobrar esse tributo

Você acha que o Brasil cobra muitos impostos? Será que existe imposto de renda em outros países? É sabido por todos que nosso país é burocrático e que a carga tributária chega a ser sufocante.

Prova disso é que muitas empresas fecham suas portas por não aguentarem tantos tributos a pagar. E os cidadãos também não estão livres dessa realidade e precisam declarar seus rendimentos ao Governo Federal. Descubra agora como funciona o imposto de renda pelo mundo.

O que é imposto de renda?

De acordo com o site da Receita Federal do Brasil, o imposto de renda ou IR “incide sobre a renda e os proventos de contribuintes residentes no país ou residentes no exterior que recebam rendimentos de fontes no Brasil. Apresenta alíquotas variáveis conforme a renda dos contribuintes, de forma que os de menor renda não sejam alcançados pela tributação”.

Existe imposto de renda em outros países e suas alíquotas são variáveis

O Imposto de Renda é um tributo obrigatório (Foto: depositphotos)

Quem deve declarar imposto de renda no Brasil é:

– Aquele que recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70;

–  Aquela pessoa que recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00;

– Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

– O agricultor que teve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50;

– Quem teve posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000.

– Morador que passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nesta condição se encontrava em 31 de dezembro;

– A pessoa que optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda.

Veja também: O que é e como funciona o Imposto de Renda ‘IR’. Tire suas dúvidas

Outros países que cobram imposto de renda

É verdade que a fama do Brasil de cobrador de impostos é grande. Porém, muitos outros países recolhem tributos bem mais altos do que o nosso país. Você sabia disso?

Porém, existe uma grande disparidade em relação às nações que cobram impostos até mais altos que o Brasil: o retorno desses pagamentos em benefício para a população. Em países da Europa, por exemplo, é visível os investimentos na qualidade de vida dos seus moradores. Enquanto no Brasil, a população carece de esgoto, saneamento, segurança e outras necessidades básicas.

Por isso que os brasileiros não se conformam em pagar tantas taxas para o Governo, pois eles não conseguem ver na prática para onde o dinheiro está indo, tão pouco receber os benefícios em forma de infraestrutura, saúde ou educação.

No Brasil, os trabalhadores em regime de CLT podem chegar a recolher até 27,5%. Mas há percentuais menores de 7,5%, 15%, 22,5%. Em um estudo realizado, o Brasil ocupa a 56ª posição entre as maiores alíquotas de contribuição do mundo. Em relação à América Latina, o Brasil possui a 9ª maior alíquota se comparado aos nossos vizinhos de continente.

Veja tambémQuais as maiores fraudes já ocorridas no mundo

Ranking de países que mais pagam mais impostos

Os países que não cobram impostos são conhecidos como paraísos fiscais

A Alemanha é um dos países que mais cobram impostos no mundo (Foto: depositphotos)

A Bélgica é um pequeno país europeu. Destinos dos amantes do chocolate, batata frita e waflles, essa nação é destaque também nos níveis de segurança, transporte público e educação. Além disso, ela ocupa o topo do ranking nas nações que mais cobram impostos no mundo. Cerca de 42% da renda do trabalhador vai para pagamento em imposto de renda.

A Alemanha ocupa o segundo lugar. Os seus habitantes pagam 39,7% dos seus ganhos para o governo local, a fim de receber em troca mais saúde, educação, segurança, cultura etc.

O terceiro lugar entre as nações que mais cobram impostos dos seus trabalhadores é a Dinamarca. O país é destaque como tendo uma das maiores qualidades de vida do mundo. Para isso, os trabalhadores deixam 36,1% dos salários nas mãos do governo.

Em seguida vem a Áustria com 34,9%. Com 0,4 percentuais a menos, vem a Hungria. Já os cidadãos da Eslovênia contribuem com 33,3% dos seus vencimentos para o imposto de renda.

Na Suécia, os trabalhadores com renda mais significativa chegam a  pagar 61,85% ao fisco. Já os os trabalhadores da Itália, Finlândia, Luxemburgo, Países Baixos e Malta pagam 32,6%, 30,9%, 30,7%, 29,9% e 35% dos seus salários para o imposto de renda.

Nos Estados Unidos, os americanos chegam a contribuir com 35% dos seus rendimentos com o imposto de renda. Na Índia, a alíquota é 35,54%, no Egito é de 20% e na África do Sul 45%.

Veja tambémO que entender por reforma tributária?

A Costa Rica é um dos menores percentuais 15%, enquanto em países como Bahamas e Ilhas Cayman é de 0%, por isso são considerados paraísos fiscais.

América do Sul

Quando o assunto é a América do Sul, o Uruguai cobra uma alíquota de imposto de renda menor que o Brasil. São 15,1%. Na Argentina, o governo cobra dos seus trabalhadores o imposto de renda equivalente a 20,9%.

O governo venezuelano exige a arrecadação de 22,5%. O Chile é um dos países que cobram mais alto o imposto de renda dos seus cidadãos. São cerca de 36,4%. Em Aruba, um pequeno território autônomo próximo à Venezuela, mas que pertence à Holanda, a alíquota máxima cobrada é de 59%. Nas Antilhas Holandesas são 49,4%.

O que acontece se eu não pagar o Imposto de Renda?

O Imposto de Renda é um tributo obrigatório. Quem não declara (mesmo se for para dizer que é isento) tem que pagar uma multa de no mínimo R$ 165,74. Esse valor varia de ano para ano e pode chegar até 20% do imposto devido, sendo mais comum a cobrança de 1% ao mês.

Para aqueles que deixam de declarar o seu imposto, a punição é ficar com o CPF sujo e ser impedido de realizar algumas tarefas, como tirar empréstimos, passaporte, certidão negativa e também não pode participar de nenhum concurso público e seleção de licitação, por exemplo.

Por isso, é importante cumprir os prazos estabelecidos anualmente para não sofrer punições como as citadas acima. Porém, nos casos de retificações na declaração, o contribuinte não precisa pagar multa, mas deverá obedecer ao calendário fixado a cada ano pela Receita Federal do Brasil a fim de corrigir as informações equivocadas.

Veja também: Inflação

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.