O que é e o que defende o português moderno

A história da língua portuguesa abrange desde a sua origem no noroeste da Península Ibérica até o presente. Resultado de uma evolução orgânica do latim vulgar, o português conta com diferentes fases, sendo que a última delas caracteriza-se pelo denominado português moderno.

O português moderno

Com o aparecimento das primeiras gramáticas que definem a morfologia e a sintaxe, no século XVI, a língua portuguesa entra na sua fase moderna, adquirindo as características do português atual. A literatura renascentista portuguesa, principalmente com as obras de Luis Vaz de Camões, foi fundamental nesse processo.

Na obra “Os Lusíadas”, provavelmente concluída no ano de 1556 e publicada pela primeira vez em 1572, o português já era bastante similar ao que conhecemos hoje, tanto na estrutura da frase quanto na morfologia.

O que é e o que defende o português moderno

Foto: depositphotos

É importante sublinhar a importância da era dos descobrimentos e sua expansão, entre os séculos XV e XVI, quando os portugueses levaram a língua a diversas regiões dos continentes africano, asiático e americano. Ao partir do ocidente lusitano, a língua portuguesa espalhou-se pelas regiões do Brasil, Guiné´-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, República Democrática de São Tomé e Príncipe, Macau, Goa, Damão, Diu e Timor, além das ilhas atlânticas Açores e Madeira.

A partir daí, a língua passa por mudanças menos significativas, como a incorporação de palavras vindas de outras línguas. Durante a fase em que Portugal foi governado pela Espanha (1580-1640), o idioma incorporou vocábulos castelhanos. Outro fato considerável foi a influência francesa no século XVIII, resultando no afastamento do português da metrópole daquele falado nas colônias.

Novas contribuições

O vocabulário da língua portuguesa recebeu novas contribuições nos séculos XIX e XX, com a incorporação de termos de origem grego-latina e do inglês. Devido à grande quantidade de novos vocábulos incorporados à língua, no ano de 1990 foi criada uma comissão, composta por representantes dos países de língua portuguesa, com o objetivo de uniformizar a língua. Os representantes assinaram um Acordo Ortográfico e, em 1995, Brasil e Portugal aprovaram oficialmente o documento, que passou a ser reconhecido como Acordo Ortográfico de 1995.

Acordo Ortográfico de 2009

O Primeiro Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa ocorreu em 1998. Nele, estabeleceu-se que todos os membros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) deviam ratificar as normas propostas no Acordo Ortográfico de 1995. Em 2004, houve a aprovação de um Segundo Protocolo Modificativo.

Em 2008, Portugal finalmente aprovou o Acordo Ortográfico. No Brasil, o novo acordo vigora oficialmente desde 1º de janeiro de 2016.

Sobre o autor

Avatar
Formada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas) pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), com certificado DELE (Diploma de Español como Lengua Extranjera), outorgado pelo Instituto Cervantes. Produz conteúdo web, abrangendo diversos temas, e realiza trabalhos de tradução e versão em Português-Espanhol.