Como fazer faculdade no exterior com bolsa

Fazer faculdade no exterior com bolsa é o sonho de muitos estudantes brasileiros. Mas para conseguir esse feito é preciso compreender o que os centros acadêmicos internacionais buscam nos alunos e como se encaixar nesse perfil.

Pensando nisso, este artigo esclarece quais são as maiores atribuições buscadas pelas faculdades do exterior e os melhores programas de bolsa integrais e parciais. Há dicas para quem quer estudar nos Estados Unidos e em países europeus. Confira agora.

Como se inscrever na faculdade no exterior com bolsa

Para se inscrever nas faculdades do exterior é preciso atender algumas condições. A primeira delas é estar no último ano do Ensino Médio ou ter se formado recentemente. Em seguida, ter ótimo desempenho escolar.

Para fazer faculdade no exterior com bolsa dominar o inglês é importante

Muitas universidades estrangeiras disponibilizam programas de incentivo (Foto: depositphotos)

Dominar o inglês é importante e se enquadrar nas condições socioeconômicas de cada faculdade para concorrer à bolsa é fundamental.

Para Harvard, por exemplo, além de ser um excelente aluno é preciso comprovar algumas condições. O preço anual de Harvard varia entre 43 e 63 mil dólares. No primeiro caso é para quem vai estudar, já o último valor é para quem também vai morar na instituição.

Veja também: Universidade de Harvard: onde fica, preço, como entrar e cursos

Os estudantes cujas famílias tenham renda inferior a 65 mil dólares, ganham bolsa de 100%. Já as famílias com renda entre 65 e 150 mil contribuem com até 10% da renda.

Outro grupo de bolsistas pagam um valor bem menor. São 12 mil por ano e podem receber um auxílio com uma bolsa de 50 mil dólares anuais.

Mas todos os valores podem ser negociados. Isso vai depender da situação financeira de cada família e tudo é avaliado individualmente.

Vale a pena cursar faculdade no exterior

O site ‘Estudar Fora’ traz alguns depoimentos de pessoas que cursaram faculdade no exterior. Eles falam dos benefícios e das conquistas que envolvem essa mudança.

Yale University

A estudante Carolina Lima diz: “o fato de a maioria dos estudantes morarem no campus faz a experiência muito mais intensa: você não só estuda ali, mas vive ali, tem todos os seus amigos perto de você, e se envolve em diversas atividades extracurriculares para explorar seus interesses”.

Stanford University

O estudante Renner Leite afirma: “decidi estudar fora para aprender mais de engenharia e empreendedorismo e, um dia, voltar para o Brasil e trabalhar nesse setor, desenvolvendo-o mais e mais aqui, ainda tendo um impacto na educação”.

Veja também: Quais os programas de bolsas disponíveis no Brasil para faculdades particulares?

Cursos das faculdades no exterior

Outra característica que chama a atenção é que muitas faculdades do exterior têm uma preparação básica unificada. Por exemplo, nos Estados Unidos, os cursos de Direto, Medicina, Odontologia, Veterinária são uma espécie de pós-graduação, que antes você precisa fazer um curso básico com duração de quatro anos para, enfim, se especializar.

Programas para estudar no exterior

Tanto a Oxford, como outras universidades renomadas ao redor do mundo oferecem bolsas de estudo

A Universidade de Oxford, na Inglaterra, tem programas de cursos com bolsa (Foto: depositphotos)

As faculdades ao redor do mundo estimulam estudantes estrangeiros a frequentarem suas salas de aula. Para isso, elas disponibilizam programas de incentivo. Conheça alguns deles:

Oxford, Inglaterra

Essa importante faculdade inglesa oferece o Reach Oxford Scholarships. O programa “cobre todos os cursos de anuidade, um valor mensal para manutenção no Reino Unido e passagens aéreas anuais para o país de origem”.

Sciences Po, Paris

O programa Emile Boutmy da faculdade de Science Po de Paris também oferece bolsas para estudantes de outros países. O interessado tanto pode se matricular nos cursos de graduação, como de mestrado. O investimento pode chegar a 16 mil euros anuais.

American University, Washington

Localizada em Washington D.C., a American University possui o programa Emerging Global Leader Scholarship. A bolsa oferecida por ela cobre as despesas e até 60 mil dólares por ano, que inclui alojamento, alimentação e mensalidade.

Veja também: Quais cursos de idiomas oferecem bolsas de estudos?

Westminster, Londres

O programa de Westminster disponibiliza a Bolsa Integral para Países em Desenvolvimento. Localizada na Inglaterra, o aluno bolsista pode ser incluído em dois programas: o primeiro paga o valor integral da anuidade, acomodação, custos de vida e transporte aéreo. O segundo banca apenas a anuidade.

Bologna University, Itália

O programa Study Grants for International Students da Universidade da Bolonha recebe estudantes brasileiros para fazer graduação e mestrado. O valor bancado pela instituição é de 11 mil euros e o aluno precisa arcar com os custos de moradia.

Lund University, Suécia

No país escandinavo, Suécia, a Lund University tem um programa voltado para estudantes estrangeiros. Fazer faculdade no exterior com bolsa é possível nesse país, desde que o estudante arque com os custos de vida, que costuma ser bem alto. Entretanto, a bolsa cobre integralmente os custos com a anuidade da instituição.

Bocconi, Milão

Ainda na Europa, a Università Commerciale Luigi Bocconi, que fica em Milão, também recebe estudantes estrangeiros. A ideia é beneficiar os melhores estudantes de outros países, mas que não têm condiçõess financeiras para arcar com os custos de uma universidade europeia, que ultrapassa os 15 mil euros por ano, em média.

Os que as faculdades do exterior procuram em candidatos?

Boas notas e atuação em atividades extra-curriculares são levadas em consideração para se obter uma bolsa de estudos

A diversidade cultural e de etnia também são fatores que influenciam na aceitação para o curso (Foto: depositphotos)

Os candidatos a bolsas em faculdades do exterior devem ter algumas características para atender os interesses dos centros educacionais de nível superior. Por isso, preste atenção nos requisitos exigidos pela maioria deles.

Ensino Médio

As notas do Ensino Médio são fundamentais para obter classificação nas universidades internacionais. O desempenho é medido observando as notas nas provas e exames e também nos trabalhos feitos em sala de aula. Cada ponto conta.

Atuação extra-curricular

Mas não é só sua vivência escolar que é levada em conta. Muitas universidades ao redor do mundo observam também as atividades extra-curriculares dos alunos. Por isso, é importantíssimo documentar essas participações, sejam elas em quaisquer áreas: esporte, música, teatro, ações sociais etc.

Veja também: Saiba o que é preciso para concorrer a uma bolsa de mestrado

Comportamento

O comportamento do aluno também tem um peso decisivo na hora de ser aceito para fazer faculdade no exterior com bolsa. E vale ressaltar que é o bom comportamento mesmo. Aquele em que o aluno é avaliado pela concentração, colaboração e participação em sala de aula e atividades estudantis.

Perfil

As universidades do exterior também levam em conta se o perfil do candidato condiz com os interesses da faculdade. Por exemplo, se o centro educacional valoriza demais os esportes, ser um bom esportista já ajuda bastante. Agora, se os seus interesses forem totalmente diferentes da instituição, você pode não ser aceito.

Diversidade

A diversidade também é levada em consideração. As faculdades estão em busca dos mais diferentes estilos para compor turmas ricas culturalmente. Logo, a diversidades dentro dos cursos também é valorizada e, certamente, isso será buscado no seu perfil.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.