Granizo: o que é, como se forma e consequências

Existem algumas formas de precipitação, que é o fenômeno no qual há a queda de água do céu. Uma das formas de precipitação existentes é o granizo, outras são a neve e a própria chuva.

Cada um dos tipos de precipitação tem suas particularidades, tanto no processo de formação, quanto no estado em que a água se encontra, bem como nos possíveis danos que podem ocasionar.

Para saber mais sobre o granizo, e compreender como este se forma, bem como quais são os problemas que ele pode causar, confira este artigo preparado pelo Estudo Prático!

O que é granizo?

O granizo é uma forma de precipitação, que é um fenômeno meteorológico caracterizado pela queda de água do céu. Além do granizo, existe ainda a precipitação de neve e de chuva.

Pedras de gelo na mão

Ao contrário da chuva, esse tipo de precipitação é caracterizada pela queda de pedras de gelo do céu (Foto: depositphotos)

O granizo é o tipo de precipitação no qual caem do céu fragmentos de gelo, os quais podem ser em formatos irregulares ou esféricos e de tamanhos variados. A quantidade de granizo também é muito variável, especialmente dependendo do estado de instabilidade da atmosfera.

O que é uma chuva de granizo?

Uma chuva de granizo é um evento no qual há grande quantidade de precipitação de gelo, fenômeno este que é também é conhecido como “saraivada”. Devido à intensidade com que os fragmentos de gelo caem na superfície terrestre, podem ocasionar diversos danos em plantações, quando atingem pessoas e animais, nas latarias dos carros, vidros e telhados, etc.

Além disso, os danos são ainda maiores dependendo do tamanho dos pedaços de gelo quando atingem alguma coisa na Terra.

Pessoa segurando granizo

Exemplo de grandes fragmentos registrados em uma chuva de granizo na cidade de Francisco Beltrão, no Paraná, no ano de 2018 (Foto: Reprodução | TNOnline)

Como é o processo de formação do granizo?

O fenômeno atmosférico do granizo é formado em um tipo específico de nuvem chamada de “cumulonimbus”. Esse tipo específico de nuvem costuma ter um grande desenvolvimento vertical, podendo atingir até 1.600 metros.

Considera-se este tipo de nuvem como de risco para a ocorrência de fenômenos como neve, chuva, granizo, raios e até mesmo tornados. São nuvens onde há a formação de intensas correntes de vento ascendentes e descendentes.

Quando as gotas de chuva oriundas do processo de condensação do vapor atingem as áreas mais elevadas dentro destas nuvens, ocorre um congelamento e consequente precipitação de fragmentos de água em estado sólido (gelo), que é o granizo.

Nuvens escuras sobre a cidade

Exemplo de uma cumulonimbus, nuvem que forma o granizo (Foto: depositphotos)

Como se forma a chuva e a neve?

Assim como o granizo, a chuva é outro tipo de precipitação atmosférica, a qual possui uma dinâmica de renovação conhecida como “ciclo da água”.

O primeiro estágio deste ciclo é o processo de evaporação, quando o aquecimento da superfície terrestre faz com que as águas sejam transportadas à atmosfera em forma de vapor de água, sejam elas provenientes dos oceanos, da evapotranspiração das plantas, etc.

Com isso, há a formação das nuvens. Estas nuvens, ao ficarem carregadas de vapor de água, precipitam a chuva. Quando a chuva cai, parte dela vai para os oceanos e demais cursos de água, outra parte é absorvida pelos solos e plantas. Com isso, há a renovação das águas, de modo que o processo de evaporação continua ocorrendo continuamente.

A neve também é um tipo de precipitação. O processo de formação dela é basicamente o mesmo da chuva e do granizo, com a concentração de vapor de água no interior da nuvem.

No entanto, para que haja a formação da neve é necessária uma condição em que as nuvens se encontrem em temperatura inferior a 0°C. Assim, o vapor de água contido na nuvem acaba por se condensar, formando cristais de gelo que precipitarão em forma de neve.

Quais prejuízos uma chuva de granizo pode causar?

Os principais danos que uma chuva de granizo pode ocasionar são:

  • Prejuízos à agricultura, especialmente quando são cultivos mais sensíveis, como é o caso do trigo, do milho, soja e tabaco. As frutas, legumes e verduras também podem ser muito prejudicas pelos fragmentos de gelo. Uma grande perda de produção ocasionada pelo granizo pode impactar profundamente os preços dos produtos no mercado, afetando a economia
  • Danos materiais, especialmente com a destruição de estruturas (casas, muros, telhados). Especialmente quando os telhados são afetados, muitas pessoas acabam perdendo móveis, tendo suas casas alagadas
  • Congestionamentos no trânsito, danos de variável intensidade nos veículos (pintura, lataria, vidros). Risco elevado de acidentes de trânsito
  • Queda de árvores, tanto sobre carros estacionados, em muros, nas vias públicas
  • Alagamentos, os quais são ocasionados pelas chuvas que comumente acompanham o granizo. Estes podem facilitar o deslizamento de encostas
  • Ferimentos em pessoas e animais que fiquem expostos ao granizo.

Quais são os cuidados quando há uma chuva de granizo?

Segundo informações da Defesa Civil, os cuidados necessários quando há uma chuva de granizo são:

  • Abrigar-se da chuva torrencial que poderá acompanhar ao granizo e causar inundações
  • Não abrigar-se debaixo de árvores, pois há riscos de quedas
  • Não abrigar-se em frágeis coberturas metálicas
  • Não estacionar veículos próximos à torres de transmissão e placas de propaganda, pois estas estarão sob influência de ventos fortes
  • Evite engarrafamentos em ruas e avenidas que foram afetadas pela chuva de granizo
  • Tenha cuidado com construções mal acabadas ou construídas, procure abrigar-se em locais seguros resistentes a fortes ventos, onde não há riscos de destelhamentos.

Curiosidade: maior fragmento de granizo no mundo!

Existem vários casos de destaque no mundo todo em relação às intensas chuvas de granizo, bem como registros com os maiores fragmentos já precipitados e registrados. O Sul do Brasil é uma das regiões do globo onde foram registrados alguns dos mais severos eventos de chuva de granizo, com grandes danos ocasionados.

Até os dias atuais, o maior fragmento de granizo registrado foi em Dakota do Norte, nos Estados Unidos, o qual tinha 20 centímetro de diâmetro e pesava 880 gramas. Isso aconteceu no ano de 2010. Podem ter ocorrido outros fragmentos maiores e que não tenham sido registrados.

Referências 

CENACID – Centro de Apoio Científico em Desastres – UFPR. “Prevenção em granizo“. Disponível em: http://www.cenacid.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2017/07/Saiba-como-agir-GRANIZO.pdf. Acesso em 06 mai. 2019.

POLON, Luana. Estudo Prático. “Ciclo da água na natureza“. Disponível em: https://www.estudopratico.com.br/ciclo-da-agua-na-natureza/. Acesso em 06 mai. 2019.

Defesa Civil Rio Grande do Sul. “Saiba como agir em caso de granizo“. Disponível em:https://www.defesacivil.rs.gov.br/saiba-como-agir-em-caso-de-granizo. Acesso em 06 mai. 2019.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).