,

O que é uma energia solar?

No Brasil, a maior parte da energia solar é utilizada para uso residencial

A energia solar é uma energia eletromagnética cuja fonte de captação é Sol, como o próprio nome já diz. Depois da obtenção, ela pode se transformar em energia térmica ou elétrica e ser aplicada em casas, empresas ou indústrias.

A energia térmica é empregada, sobretudo, no aquecimento de água. Já a elétrica pode ser absorvida de duas formas. A primeira é por meio do sistema heliotérmico, a segunda é por meio de placas fotovoltaicas.

Neste artigo, você descobrirá como funcionam os diferentes tipos de energia solar, quais são as vantagens e desvantagens desse tipo de captação da radiação entre outras informações relacionadas ao tema.

Tipos de energia solar

A energia solar nada mais é do que o aproveitamento da irradiação vinda do sol. Essa energia é medida em kWh/m², que quer dizer quilowatt por hora por metro quadrado. Essa análise faz relação da quantidade de energia solar que incide sobre uma área.

A energia solar nada mais é do que o aproveitamento da irradiação vinda do sol

O preço da instalação de equipamentos varia de acordo com o tamanho da área (Foto: depositphotos)

Segundo o Atlas de Irradiação Solar no Brasil, nosso país recebe entre 4,25 e 6,5 kWh/m² de irradiação solar por dia. Isso é muito. Países com menor incidência de Sol conseguem aproveitar muito mais a potência dessa fonte de energia.

A energia solar funciona de duas formas:

Fonte térmica

A fonte térmica para a captação de energia solar funciona para aquecer a água que circula nas residências, é chamado de heliotérmico. Seu uso é praticamente domiciliar e funciona por um sistema de placas e tubos que esquentam a água. Essa é uma forma mais barata de utilizar a energia solar.

Veja também: Energia solar: vantagens e desvantagens

Fonte luminosa

Essa é quando a energia solar é transforma em energia elétrica e pode ser distribuída nas tomadas normalmente. Ela é captada por células fotovoltaicas, que usam silício na sua composição na maioria das vezes, e transmitida para baterias.

Por sua vez, essas baterias acumulam energia que pode ser utilizada por toda a casa ou empresa ou até carro (sim, já existem alguns protótipos de carros movidos a energia solar). Essa é uma solução mais cara de aproveitamento da energia solar, principalmente por conta das placas de silício.

Porém, a longo prazo (uma placa captadora tem vida útil, em média, de 25 anos) esse investimento é compensado pela redução da conta de energia.

Como funciona a energia solar

Segundo o Portal Solar, no Brasil, quase 75% da eletricidade do país vem das usinas hidrelétricas. Sendo dividida da seguinte maneira: cerca de 61,09% vem das usinas hidrelétricas, 26,88% da nossa energia de vem de usinas termelétricas, 7,01% vem da energia eólica, 3,26% vem de uma central hidrelétrica, 0,36% vem da Central Geradora Hidrelétrica, 1,3% usinas termonucleares e, apenas 0,09% vem de um central com captação solar fotovoltaica.

Veja também: Fontes de energia

Mesmo que no Brasil os números de captação e uso da energia solar ainda sejam muito pequenos, há uma expectativa que isso aumente com o passar dos anos.

Por enquanto, a maior parte da energia solar por aqui é utilizada para uso residencial. Uma parte para aquecer água, outra para gerar energia.

Energia solar para aquecer água

A primeira parte funciona assim: coletores absorvem a radiação solar por meio de aparato específico, chamado de absorvedor. Com isso, um fluído dentro dele, que fica em uma região chamada de acumulador de calor, é aquecido e transportado para o permutador de calor.

É nesse momento que a energia térmica é transmitida para a água. Geralmente, esse tipo de energia só dá conta de 60% de todo o aquecimento, sendo necessário o complemento com uma fonte elétrica tradicional.

Energia solar para gerar energia

Já para gerar energia elétrica é preciso utilizar as placas fotovoltaicas. Quando um painel solar reage com a luz do sol, ele produz energia elétrica. Ele é geralmente instalado no teto, conectado uns aos outros e possuem um inversor solar.

Esse inversor é responsável por converter a corrente contínua de energia solar em corrente alternada, que é a elétrica. Sendo assim, a energia do inversor vai para o quadro de luz e é destruída.

Se a sua unidade de coleta gerar mais energia do que o necessário, ela é enviada para uma rede distribuidora e se transforma em uma espécie de crédito de energia para ser utilizado durante a noite ou em períodos com pouca incidência de sol.

Veja também: Matéria e energia

Preço da Energia Solar

O preço da instalação de equipamentos para captar energia solar varia de acordo com o tamanho da área que receberá as placas. Além da proporção dos painéis, também contará para o custo, a complexidade da montagem e dos processos.

No Brasil, a maior parte da energia solar é utilizada para uso residencial

É possível converter a corrente contínua de energia solar em corrente elétrica (Foto: depositphotos)

Uma pesquisa feita pelo Portal Solar, revelou os preços médios da instalação da energia solar em determinadas áreas. Confira:

  • Sistema com 1.6Kwp, que atende bem casas pequenas com até 3 pessoas: R$ 15.500
  • Sistema com 2,2Kwp, que atende imóveis pequenos com 4 pessoas: R$ 18.000
  • Sistema com 3,3 Kwp para casa média custa R$ 23.800
  • Sistema de 4,4Kwp ou 5,3Kwp para casas grandes com até 5 pessoas custa, em média, R$ 30.800
  • Sistemas com até 10Kwp para casas muito grandes custa até R$ 52.000

Os preços podem variar bastante, principalmente para unidades que consomem muita energia. Para você ter uma ideia, se uma empresa precisa de 100kw de potência pode gastar até 490 mil.

Se essa potência sobe para 500Kw, o custo pode chegar até a R$ 2.25Mi. As empresas que precisam de 1MW pagariam até R$ 4Mi pela instalação completa dos painéis com essa capacidade de captação e geração de energia solar.

Já para montar uma usina energia solar cuja produção chega a 5MW o custo médio pode chegar a 20 milhões para a instalação ou 120 milhões, caso a potência se eleve para 30MW.

Manutenção da energia solar

Além dos custos da instalação, a manutenção com energia solar deve perdurar por 25 anos, que é o tempo de vida médio com os equipamentos relacionados. A partir disso, são mais 5 anos para que as placas sejam trocadas, pois começam a perder a eficiência.

Veja também: Energia hidráulica

Por exemplo, uma casa pequena que precisa da potência de 3,3Kwp para funcionar bem, o morador vai investir cerca de 22 mil. Em 25 anos, o cliente vai investir em média 5 mil. No total, são 27 mil divididos em 300 meses. O que dá uma média de 90 reais mensais. Logo, a energia solar fotovoltaica é mais barata do que a energia residencial gerada por outros meios.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.